Rafaella lança double com João Donato

Rafaella lança double com João Donato

Rafaella tem 19 anos, estuda psicologia, é cheia de personalidade e tem uma potência vocal fascinante. Sua estreia acontece hoje, com duas canções, “O que eu não te contei” e “So I Just Wait”, que chegam aos aplicativos de música através da Believe. 

Rafaella lança double com João Donato
Rafaella e João Donatto_foto Rodrigo Lopes

As canções fazem parte do primeiro álbum de Rafaella, gravado no Estúdio Rocinante e produzido por Marlon Sette. “O que eu não te contei” é alto astral, fala de um primeiro grande amor e tem participação especial de João Donato. “So, I just wait” é densa e impactante. Foi inspirada tanto em Clarice Lispector, como nas reflexões da artista sobre o impacto da saúde mental nas relações afetivas. 

“Eu tenho certeza absoluta que eu ainda não estou nem perto de compreender a magnitude da oportunidade que eu tive, especialmente tão cedo na minha vida. Ter a chance de tocar com alguém tão maravilhoso para esse mundo foi realmente indescritível”, comemora a cantora. “Algo que sempre me deixou muito feliz sobre esta canção é que, normalmente o que me inspira são sentimentos mais confusos, tristes, pesados, mas essa foi a primeira vez que eu me senti fortemente tentada a escrever baseada em algo que me fazia muito bem”, relembra. 

Rafaella conta que compôs primeiro a letra e depois pensou numa melodia que pudesse transcrever a narrativa nos acordes. ” Minha ideia era não só que parecesse e soasse feliz e leve, mas também que fosse uma metalinguagem no sentido de fazer com que os acordes fossem crescendo junto do jardim que estava sendo narrado”, explica. Um clipe dirigido por Sofia Badim acompanha o lançamento. 

Já “So I Just wait” nasce mais como um desabafo e se torna a composição que mais mexe com as emoções de Rafaella. Seja pela base instrumental ou pelo assunto que aborda. “Vivenciei um período de muita ansiedade em que, rapidamente, fui de uma pessoa extrovertida e tranquila para alguém com frequentes crises e medo intenso”, conta. “Nesta faixa não apenas falo desse sentimento, mas também das sensações corporais que eu tinha quando vivia isso”.

Além da terapia, a música ajudou bastante Rafaella a transformar suas dores e amores em faixas belíssimas, interpretadas com a firmeza e a doçura dessa jovem. Ao seu lado, uma ficha técnica dos sonhos com violão de Davi Moraes, contrabaixo de Alberto Continentino e Guto Wirtti, piano de Rodrigo Tavares, bateria de Paulo Braga, trompete de Diogo Gomes, programação de Pepê Monerrat e trombones e arranjos de Marlon Sette. Tudo mixado por Michael Brauer, engenheiro de som do Coldplay, Aretha Franklin, Rolling Stones, entre outros grandes nomes da música mundial.

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<