#ChegayNoPFBR: de “The Path” à “Oceanic Feeling”, confira o review faixa a faixa do “Solar Power”

#ChegayNoPFBR: de “The Path” à “Oceanic Feeling”, confira o review faixa a faixa do “Solar Power”

Lorde sumiu por muito tempo e retornou com seu “Solar Power“, o álbum mais conceitual da carreira, bem “diferentão” e hippie. Produzido por Jack Antonoff, o que deixou parecendo uma mistura da própria cantora com Lana Del Rey e Taylor Swift, o sucessor do aclamado “Melodrama” não passa de um sol de inverno, que quase não esquenta nada.

Podemos chamar o novo projeto da Lorde de ruim? Jamais! Tem toda uma história por traz, as faixas são coesas, tudo o que ela se propôs a fazer aqui deu certo. O problema é que algumas músicas parecem recicladas de outros trabalho do produtor e a sonoridade não é das melhores. Desde o lead single que eu falo isso e, justamente no pior, ela se baseou para fazer o restante das faixas.

>>> Siga o @chegayblog no Instagram e fique por dentro de todos os lançamentos do pop

Entre músicas fracas, descartáveis ou apenas insignificantes, temos outras muito boas, como o mais recente lançamento, “Mood Ring”. O “Solar Power” ainda tem participação da Robyn, o que elevou muito esse projeto. Também não posso deixar de falar das ótimas composições presentes. Todas as faixas são liricamente perfeitas e algumas até me deixaram surpreso, como no caso de “The Path” ou “Big Star”.

Confira meu faixa a faixa do terceiro álbum da neozelandesa Lorde. Aproveita e me conta quais as suas opiniões e suas faixas favoritas também, estou te esperando nas redes sociais.

>>> #ChegayNoPFBR: o grande retorno de Lizzo e a despedida triunfal de Iggy Azalea; confira nossas impressões

The Path

Lorde já começa seu terceiro álbum mostrando que será completamente diferente do que os fãs estavam acostumados. A artista critica a vida de celebridade e exalta a natureza, que é um dos pontos principais abordados nesse projeto. Sonoramente a faixa é boa, levemente fraca para início, mas tem um ótimo refrão contagiante, que dura por praticamente dois ótimos minutos.

Solar Power

Para ser bem sincero, não curto muito esse single. Ouvindo o álbum completo, senti a vibe da música e até cresceu um pouco, mas ainda acho uma péssima escolha para abrir a era. Sonoramente, o ponto mais alto, desde o início, é a partir do último refrão, que finaliza com a repetição de “Solar Power”.

California

Diferente das músicas anteriores, aqui eu realmente não consigo engolir o refrão. A letra é ótima, criticando diretamente a vida de artista que levava nos Estados Unidos e exaltando a vida simples e em total contato com a natureza na Nova Zelândia. Os versos são interessantes de se ouvir, até me fazem viajar, mas o refrão quebra completamente essa vibe e parece que minha viagem se tornou um enterro.

>>> #ChegayNoPFBR: de k-pop à jazz, confira nossas primeiras impressões dos lançamentos da semana

Stoned at the Nail Salon

Desde o dia que essa faixa promocional foi lançada, eu aclamo! Ela tem sonoridade diferente das anteriores, mas tudo nela se encaixa perfeitamente e o refrão se prende na minha cabeça a cada ouvida, por horas e até dias. Como eu destaquei no review de lançamento da música, o último verso, onde ela fala para aproveitarmos as pessoas que nos criaram, me toca tanto e só comprova que essa faixa nasceu para ser 10/10.

Fallen Fruit

Lorde vira ativista do Greenpeace e faz uma música inteira voltada para as mudanças climáticas. O tema eu achei bem interessante, super combinou com a temática geral do álbum. Mas, se formos analisar a música, é bem descartável, sem nenhum ponto marcante ou memorável.

Secrets from a Girl (Who’s Seen It All)

Disparado, mas muito disparado mesmo, temos aqui uma das melhores músicas do álbum. Tudo nela é perfeito! Tem ótimos versos, com composição incrível (como todo o álbum) e ainda um refrão simples, mas muito viciante. A voz da Lorde está linda e ainda temos Robyn para abrilhantar o discurso de encerramento, que, particularmente, me deixou bem pensativo.

>>> #ChegayNoPFBR: de “Getting Older” à “Male Fantasy”, confira nosso faixa a faixa do “Happier Than Ever”

The Man with the Axe

Uma das músicas mais cansativas de todo o álbum. Ok, é uma declaração de amor e uma das favoritas da Lorde, mas é tão sem graça, morta, sem emoção, sonolenta e comprida, desnecessária.

Dominoes

Embora essa música tenha uma pegada mais good vibes e amante da natureza, sua letra é bem diferente disso e ainda foi gravada em Nova York, com as janelas do estúdio abertas, dando para ouvir sirenes ao fundo. Não costumo gostar dessas coisas muito “diferentonas”, mas aqui caiu muito bem e só não se tornou uma das minhas favoritas pois é curta demais, o que acaba passando meio despercebida por mim.

Big Star

Essa não é das minhas favoritas, mas depois que li sobre o que se tratava ela cresceu bastante para mim. Parece uma música de amor clichê, feita para qualquer boy, mas foi escrita para o seu cachorrinho. AI MEU DEUS QUE FOFURA! Agora que virei pai de pet, consigo ver essa faixa com outros olhos.

>>> #ChegayNoPFBR: confira primeiras impressões dos trabalhos de Camila Cabello, Luísa Sonza, Lil Nas X e mais

Leader of a New Regime

Para mim isso aqui é uma interlude e bem sem graça. Liricamente é interessante, mas, mesmo assim, nada que valha a pena acrescentar.

Mood Ring

A melhor música do “Solar Power” inteiro! Essa foi o primeiro single que realmente me prendeu e que me deixou animado pra o álbum. Uma verdadeira música pop, com cara de produção típica do Jack Antonoff e ainda super contagiante. A batida me faz dançar conforme a música, o que eu não esperava encontrar aqui. Amo a letra satirizando a sociedade good vibes por status, foi extremamente necessária aqui. Uma pena que esse som não apareça em boa parte do álbum, seria um dos meus favoritos do ano, com toda certeza.

Oceanic Feeling

Assim como iniciou, o álbum se encerra com uma música poderosa e reflexiva, com uma das melhores letras presentes. Lorde parece ter contado uma história que se iniciou em “The Path” e se encerra ao final de “Oceanic Feeling”.

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<