Billy Porter comenta sobre Harry Styles utilizar vestido na capa da Vogue: “Tudo o que ele tem que ser é branco e hétero”

Billy Porter comenta sobre Harry Styles utilizar vestido na capa da Vogue: “Tudo o que ele tem que ser é branco e hétero”

Billy Porter é um dos atores mais icônicos de Hollywood, sem papas na língua e um forte representante não só da cultura negra, mas também dos direitos LGBTQIA+ e tudo que é ligado as pautas de liberdade de gênero.

A estrela de “Pose” falou sobre como a moda passou a olhar homens utilizando vestidos, pauta que há alguns anos, era considerada um verdadeiro tabu, já que vestidos sempre foram condicionados ao gênero feminino. Billy questionou o motivo de o público dar atenção para a pauta somente após Harry Styles estampar a capa da Vogue, sendo o primeiro homem da história da revista a utilizar vestido, mesmo quando o ator já fazia o mesmo há bastante tempo.

Billy Porter comenta sobre Harry Styles utilizar vestido na capa da Vogue: “Tudo o que ele tem que ser é branco e hétero”
Harry Styles para a capa da Vogue

Em entrevista ao Sunday Times Style, a estrela de 52 anos falou sobre a iniciativa que teve:

“Eu acho que pessoalmente, eu mudei todo o jogo. E isso não é ego, é apenas um fato. Eu fui o primeiro a fazer isso e agora todo mundo está fazendo”, comentou o ator, que ainda relembrou a aclamação que Harry Styles teve a utilizar um vestido.

“Eu sinto que a indústria da moda me aceitou porque foi obrigada a me aceitar. Não estou necessariamente convencido e aqui está o porquê. Eu criei a conversa [sobre moda não binária] e ainda assim a Vogue colocou oHarry Styles, um homem branco heterossexual, em um vestido em sua capa pela primeira vez.”, complementou Billy.

Porter deixou claro que isso não se tratava de algo contra o intérprete de “Watermelon Sugar”, mas questionou os motivos de Harry ser a pessoa escolhida para falar sobre o tema:

“Não estou atacando o Harry, mas é ele que você vai chamar representar essa nova conversa? Ele não se importa, ele só está fazendo isso porque é a coisa certa a fazer. Essa cultura é política para mim. Essa cultura é minha vida. Tive que lutar minha vida inteira para chegar ao lugar onde pudesse usar um vestido no tapete vermelho do Oscar e não ser morto. Tudo o que ele precisou fazer foi ser branco e heterossexual.”

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<