OPINIÃO: Longevidade de “Pânico” reforça revolução da franquia no mundo do entretenimento

OPINIÃO: Longevidade de “Pânico” reforça revolução da franquia no mundo do entretenimento

O subgênero slasher passava por maus bocados na década de 80: Com baixa demanda popular e produções que não atingiam ínfimos desempenhos críticos a temática foi jogada de lado por mais de uma década aos olhos do grande público, e quando tudo parecia indicar que se tratou de um fenômeno momentâneo que não se repetiria a franquia “Pânico” estreou para retirar o status do gênero de “respirando por aparelhos” para o topo das bilheterias mundiais.

Utilizando-se do recurso da metalinguagem ao parodiar os clichês clássicos do mundo do terror o lançamento de “Scream” em 1996 e suas respectivas sequências (1997, 2000) foram responsável por repopularizar os assassinatos em massa e clímax de suspense sem apelar para o “jump scare” que começava sua decolada como elemento principal em produções de horror, permitindo com que “Sexta-Feira 13” e “Halloween” escalassem nas costas da proposta de “Pânico” para também se alçarem como sucessos globais.

“Pânico 4” lançado cerca de onze anos após a recepção mediana (a nível crítico) do terceiro filme se consagrou como o grande “revival” da franquia ao adaptar-se a uma nova realidade ao mesmo tempo que resgatava elementos essenciais que trouxeram as características que alçaram a trilogia anterior como um divisor de águas dos slasher-movies, mas devido ao fraco marketing do estúdio responsável pela produção mesmo lucrando algumas boas dezenas de milhões de dólares em relação a seu custo não foi desenvolvida qualquer nova produção… até o último ano.

Com o lançamento de “Scream” pela MTV (que buscou trazer um público mais jovem para este universo) bem como “Slasher” da CW que também atingiu bons índices de audiência em suas quatro temporadas o “comeback” de “Pânico” se tornou amplamente viável mesmo após a morte do diretor Wes Creaven, idealizador do projeto.

O quinto filme da franquia foi recebido com grande apreço pelos admiradores do cinema e o trailer da produção (em inglês) já ultrapassou 10 milhões de acessos em pouco mais de cinco dias, com forte base de apoio até mesmo entre jovens que não vivenciaram o “boom” de seu surgimento mas reconhecem seu impacto. Pânico foi atual há vinte anos atrás e seguirá atual por todo o resto de sua existência.

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<