“MONTERO”: novo videoclipe de Lil Nas X é a celebração de liberdade; entenda a produção

Lil Nas X finalmente nos entregou o primeiro single do que promete ser seu novo álbum e se de fato a nova produção do rapper começar no estilo que começou “Monteiro: Call Me By Your Name“, podemos esperar um grande projeto!

Com a estreia do novo videoclipe, muitos seguidores ficaram extasiados pelo curta e seus visuais, mas também ficaram repleto de dúvidas sobre o que no novo clipe Nas abordou. Sendo assim, decidimos trazer algumas informações para iluminar as ideias de vocês.

É interessante começar dizendo que Lil abre seu vídeo com um pequeno discurso onde diz “Na vida, nos escondemos partes de nós mesmos para que os outros não possam ver. Trancamos um menino, dizemos não, punimos ele, mas aqui, aqui não. Sejam bem-vindos a Montero”.

Para quem não sabe, Montero é o nome de oficial de Lil Nas, Montero Lamar Hill e um pouco antes de lançar seu clipe, Nas publicou uma carta aberta ao seu antigo “eu”, um Montero de apenas 14 anos.

Imagem

“Eu escrevi uma música sobre o nosso nome. Ela é sobre um cara que eu conheci no último verão. Eu sei que eu prometi nunca falar sobre isso em público. Eu sei que prometi nunca ser “aquele” tipo de cara gay, eu sei que prometi morrer com esse segredo, mas isso vai abrir portais para tantas outras pessoas queers que simplesmente existirem! Você pode ver que é bastante assustador pra mim, as pessoas vão ficar nervosas. Pessoas vão dizer que eu estou forçando uma pauta, mas a verdade é que eu estou. Uma pauta para fazer pessoas ficarem fora da vida de outras pessoas ditando o que eles devem ou não fazer. Mandando muito amor para o futuro.”

Começando a analise do clipe, podemos entender que Lil está no Jardim do Éden, local considerado o paraíso criado por Deus, onde Eva e Adão teriam vivido por anos até que foram expulsos, após Eva ter provado o fruto proibido, induzida pelo Anjo da Morte, Samael, que assumiu a forma de uma serpente.

Em uma das cenas, Montero, interpretado por Lil, tenta fugir da cobra, mas acaba sendo hipnotizado por ela. A cobra olha nos olhos do rapaz e mostra uma visão para o mesmo, que em seguida, perde todo seu medo pela figura sinistra da serpente, beijando-a em seguida. A cena representaria Eva quando provou o pecado e foi expulsa do Éden.

Na cena seguinte, Montero é capturado por dois guardas que também são Lil Nas. Na cena, Lil veste rosa enquanto todas suas outras personalidades vestem azul e todo o coliseum são imagens semelhantes do rapper que gritam completamente frustradas pelo rapper está utilizando rosa e vestindo saia. A cena simboliza uma guerra interna do rapper queer com ele próprio, entendendo ainda sua sexualidade, principalmente com o enorme fardo da sociedade rotular padrões, onde meninos deveriam usar azul e meninas deveriam usar rosa.

Lil passa por um julgamento onde suas personas negam a todo momento o fato de o rapaz querer se libertar, enquanto é completamente vaiado por todo o coliseu. Neste momento, Montero é condenado a voltar para o paraíso para ser o jovem que era antes, “livre de pecados”.

Neste momento, Montero é acertado por um objeto e a cena rapidamente corta para o rapaz sendo levado de volta ao céu e quem vem busca-lo é um anjo. Entretanto, o desejo de liberdade de Montero de se tornar abertamente uma pessoa queer acaba por liberta-lo quando um imenso ferro de pole dance surge e o rapper se agarra.

O visual de Lil muda completamente e o rapper desce até os confins do inferno através da barra de pole dance, utilizando apenas botas de cano longo e cueca. Nesse momento Montero está no inferno e acessa o palácio onde se encontra o Diabo e no salão principal, é possivelmente ler uma mensagem em latim no chão, “damnant quod non intelligunt”.

Imagem

Segundo o latim, a frase significa “ELES CONDENAM O QUE ELES NÃO ENTENDEM” e claramente o cenário se encaixa com narrativa, já que diversos pensamentos religiosos condenam e determinam que pessoas LGBTQIA+ estão fadadas a irem para o inferno por serem pecadores.

Ao se encontrar com o Diabo, Lil Nas seduz a entidade e em seguida mata-o, tomando posse do trono da figura sinistra, porém, mais uma vez, Montero utiliza as narrativas do clipe para dizer que matou seu principal temor e o dominou, definindo para si próprio o que deveria ser a concepção de inferno.

O clipe traz uma narrativa de libertação dos dogmas inserido pela sociedade em nossas vidas, que dizem que caso não sigamos as regras vamos sofrer por toda eternidade do inferno. Nas nos mostra que “inferno” é subjetivo e que cada um faz, domina e decide como vai ser o seu inferno e se para Montero tudo isso significa LIBERDADE, que assim seja.

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<