Luísa e os Alquimistas e Keila lançam “Brega Night Dance Clube”

Luísa e os Alquimistas e Keila lançam “Brega Night Dance Clube”

A cultura popular do Norte e Nordeste do país pulsa e é amplamente exaltada no single “Brega Night Dance Clube”, de Luísa e os Alquimistas e Keila. O clipe, que já está no YouTube, une as amigas que se fortalecem e se jogam na aparelhagem. “Lambada, arrocha, brega funk, pagodão, toca forró. Tecnobrega, pisadinha, batidão e carimbó”, anunciam os versos. 

Luísa e os Alquimistas e Keila lançam “Brega Night Dance Clube”
Foto Gabriel Tantacoisa

O filme dirigido por Matheus Almeida tem estética punk e distópica. Nas cenas elas mergulham em uma piscina e surgem em um mundo fantástico. O filme foi contemplado pela Lei Aldir Blanc. 

Expoentes das cenas do Rio Grande do Norte e Pará, Luísa e os Alquimistas e Keila comprovam que unidas conseguem ser ainda mais poderosas. E a gente nem imaginava que isso seria possível. 

“Muitas coisas especiais envolvem esta música que fizemos num encontro em São Paulo, antes da pandemia. Tudo brotou de maneira muito fluida e depois fomos encorpando este beat. Nele a gente consegue trazer as referências de pesquisas que estamos fazendo sobre o brega e o que pode ser um brega punk”, revela Luísa. Ela conta que o grupo vem trazendo cada vez mais o peso da guitarra para os shows e desta vez trouxeram também para o fonograma.

Luísa comemora este encontro de artistas que trazem consigo a militância em torno do brega. “Eu era fã de Keila, desde a época que eu discotecava. A voz dela sempre esteve muito presente na minha vida como grande referência. Eu sou de Natal, ela de Belém, e sabemos como é difícil surfar nas ondas do hype do pop indie brasileiro, que ainda é muito concentrado no eixo sul e sudeste. Eu bebo muito do tecnobrega e é emocionante fazer um feat com uma das maiores referências do Brasil”, conclui. 

“A onda especial além do diálogo entre mulheres é realmente enaltecer essa conexão do brega, o tecnobrega e o brega funk”, afirma Keila. Sobre as conexões com Luísa e os Alquimistas ela é taxativa. “Primeiro de tudo, somos poderosas! E acho que nosso som se encontra muito bem dentro de  temas femininos, música da periferia e pela busca constante por autenticidade, sempre experimentando coisas novas”, opina.

Sem dúvidas, um bom remédio para tentar desconectar desses tempos de tédio e caos, é se jogar no “Brega Night Dance Clube”, o som cheio de swing, cultura e talento de Luísa e os Alquimistas e Keila.

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<