Rosa Neon anuncia fim do grupo

É capaz que quem seguiu a bem sucedida caminhada da Banda Rosa Neon no cenário pop alternativo brasileiro, se pegue com lágrimas nos olhos ao fim da audição ou de assistir o clipe de “A gente é demais”. Com lançamento nesta quinta feira, dia 25, a faixa anuncia o fim do grupo mineiro – que abalou as estruturas da cena nos últimos três anos – trazendo uma mensagem de amizade, alegria e, principalmente, saudades.

Rosa Neon_foto Sarah Leal

Tudo parece acabar do jeito que começou: com leveza, sensibilidade e muito talento. Uma track deliciosa, daquelas pra cantar gritando juntos e um filme que transmite afeto ao mesmo tempo que corta nossos corações. Agora Baka, Marcelo Tofani e Marina Sena seguem seus projetos solo e sempre unidos, mesmo que agora mais distantes.

“Acho que não tinha jeito melhor de acabar essa banda do que com “a gente é demais”. A música e o clipe tem uma energia muito vibrante, apontando pra frente, com um otimismo que parece ingênuo, mas não é. É assim que a gente quer que o público continue lembrando da gente, porque pra mim, o Rosa Neon sempre foi esse sopro de esperança que faz as coisas ficarem mais positivas, mesmo em momentos extremamente pesados. Por mais nebulosos que sejam esses momentos, a única coisa que a gente precisa ter é esperança e não existe tempo pra se dar ao luxo de não ter”, afirma Tofani. 

Ele e Marina Sena dividem o pensamento que o Rosa Neon provou, mesmo que em pouco tempo, que as coisas que eles sonhavam são possíveis. “A gente viveu muita coisa boa juntos né? Fizemos shows em vários festivais fodas, lançamos nossos clipes, emplacamos nossas músicas. É muito gostoso saber que o trabalho da gente faz uma galera curtir, se jogar mesmo. A despedida está neste clima”, fala Marina. 

“A gente está em busca de novos experimentos, novas sensações, novos perigos, músicas inéditas, novas tendências e tudo mais que a música puder proporcionar. Depois de viver uma fração minúscula do que este mundo tem pra oferecer, eu, Tofani e Marina estamos mais motivados que nunca, cada um na jornada pelo sonho”, acredita Baka. A gente começou com muito pouco, um punhado de gente talentosa e querida, muita força de vontade e a arte que cada pessoa podia entregar e é incrível onde a gente chegou até agora”, finaliza. 

O que resta ao público do Rosinha agora é matar as saudades ouvindo de olhos fechados  “Ombrim”, “Fala lá pra ela” ou qualquer outra do álbum. E é claro, embarcar na onda de despedida com “A gente é demais”. “A gente quer, do fundo do coração, agradecer a cada um que fez o Rosinha acontecer. Sem vocês, nada seria tão lindo”, se despede Marina. 

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<