Lucas Felix reúne Mariana Aydar, Letieres Leite, Lucy Alves, Illy e Mestrinho no EP “Convite”

Lucas Felix reúne Mariana Aydar, Letieres Leite, Lucy Alves, Illy e Mestrinho no EP “Convite”

Lucas Felix traz ritmos genuinamente brasileiros no seu mais novo EP, “Convite”. E junto ao cantor e compositor niteroiense, estão importantes nomes da nossa música. Mariana Aydar, Lucy Alves, Illy, Mestrinho e Letieres Leite formam o time de participações especiais no álbum produzido por Fábio Lessa, que chega hoje às plataformas através da Ditto. Convite também chega na versão audiovisual com um vídeo ilustração da faixa homônima. 

Lucas Felix reúne Mariana Aydar, Letieres Leite, Lucy Alves, Illy e Mestrinho no EP “Convite”

Com Mariana, Lucas canta a faixa-título do EP, canção feita por ele em parceria com Iolme Lugon e Gabriel Luz, de onde nasceu toda a ideia do projeto.  Até por isso, ela já apresenta o balanço, a sonoridade fincada na MPB, a temática e a assertividade na escolha dos duetos, presentes em todo o resto de “Convite”. Um clipe ilustrado feito pela Jangada acompanha o lançamento.

Em meio a tantas emoções, durante a produção do EP, o jovem artista realizou o sonho de gravar com Letieres Leite. Meses depois e antes mesmo deste lançamento, nossa música perdeu o maestro, que deixou um legado indiscutível e um arranjo excepcional para a faixa que encerra o EP, “Corda bamba”. “Balanço que o tempo carrega na corda bamba”, diz o refrão. 

Aliás, as inspirações em referências como Gilberto Gil e Caetano Veloso, fazem com que Lucas Felix se aproxime bastante da Bahia no seu EP. “Mar de flores”,  com participação de Illy é prova disso. Um ijexá gostoso que a faz a gente balançar já nos primeiros acordes. 

O sotaque do Nordeste está presente em “Convite” também na bela releitura de “Lua e Estrela”, ao lado de Lucy Alves, assim como na saudosista “Saudade é tempero de vó”, com a elegância de Mestrinho. Em ambas, Lucas mostra que a música regional de lá é de suma importância para sua construção artística . 

“É um EP que tem baião, forró, ijexá, MPB e que mostra como a música brasileira  pode conversar de diversas maneiras, sendo permeado harmonicamente em diferentes caminhos ao mesmo tempo que se tem uma unidade. Estou muito orgulhoso e feliz com o resultado”, comemora Lucas.

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<