Há 10 anos, Adele se transformava em um dos maiores nomes da indústria com o lançamento do álbum “21”

Mostrando toda sua vulnerabilidade e autenticidade em letras profundas, em 24 de janeiro de 2011, Adele nos apresenta “21”, seu segundo álbum em estúdio.

Aclamado pela crítica com letras que retratavam sua dor – ainda contando sobre o término de seu último relacionamento – a britânica trabalhou com cinco singles oficiais, mas, em uma contagem popular, praticamente todas as faixas da superprodução tornaram-se grandes hits.

“Rolling in the Deep”, a primeira aposta, apenas nos prepara para a canção que mudaria a vida da cantora, a inconfundível melodia de “Someone like You”. Depois disso, é só sucesso nas paradas de todo o mundo, alcançando números globais com “Set Fire to the Rain”, “Rumour Has It” e “Turning Tables”.

Em entrevista de divulgação ao renomado Digital Spy, website britânico, a jovem contou um pouco mais sobre sua motivação e tentou explicar porque sua obra fez com que tanta gente se identificasse com seu sofrimento: “Ele partiu meu coração quando escrevi este disco, então o fato de que as pessoas estão levando [o álbum] aos seus corações é o melhor jeito para recuperar-se. Pena que eu ainda não estou totalmente recuperada. Eu acho que vou levar dez anos para me recuperar da maneira que eu me senti desde meu último relacionamento”.

Deixando os hits de lado, e entrando um pouco mais no mundo da produção técnica, grandes nomes da indústria estiveram ao lado de Adele para que o sucesso do “21” acontecesse, entre eles, Jim Abbiss, Paul Epworth, Rick Rubin, Fraser Smith, Dan Wilson e, é claro, Ryan Tedder.

Ainda na parte técnica, Rubin revela que a diva transformou e inspirou a banda que trabalhava na produção do disco pois, atualmente, é muito mais comum que os músicos gravem sua parte e, só depois, os cantores coloquem a voz para que a faixa vá para sua mixagem e, consequentemente, seja lançada a versão final.

“Os músicos estavam inspirados, já que eles raramente tocavam com o artista presente [no estúdio], muito menos cantando. (…) Hoje em dia, muitas coisas são gravadas como overdubs nas faixas. Isso foi um verdadeiro momento interativo onde nenhum dos músicos sabiam o que eles estavam tocando e que todos estavam ouvindo tão profundamente e descobrindo completamente onde eles se encaixaram (…) toda a música estava encaixando a emoção da performance dos vocais extravagantes de Adele”.

Comercialmente falando, podemos considerar que “21” é um sucesso de vendas até hoje – isso mesmo – 10 anos após o seu lançamento oficial no mercado. A obra atingiu o topo de países como Reino Unido, Estados Unidos, Canadá, França, Brasil e incontáveis outros lugares ao redor do mundo. A International Federation of the Phonographic Industry (IFPI) considera o álbum da britânica como o mais vendido da última década, sendo adquirido mais de 30 milhões de unidades, físicas e digitais. Ainda hoje, desde 2011, “21” continua presente na principal parada dos EUA, a Billboard 200, que monitora o sucesso de discos em território norte-americano.

Já dá pra imaginar a incontável quantidade de prêmios que Adele faturou com o “21”, né? Então listamos aqui as estatuetas da premiação mais importante da indústria musical, o Grammy.

Grammy de 2011

Gravação do Ano: “Rolling In The Deep”

Álbum do Ano: “21”

Música do Ano: “Rolling In The Deep”

Melhor Performance em Pop Solo: “Someone Like You”

Melhor Álbum Vocal em Pop: “21”

Melhor Videoclipe: “Rolling In The Deep”

O “21” entra, sem sombra de dúvidas, para a história como um dos álbuns pop mais importantes que já tivemos. Qual a sua favorita da superprodução de Adele? Continue a conversa direto das redes sociais do Portal Famosos Brasil. Esperamos por você!

>>> Já segue o PFBR no Facebook? Não? Tá perdendo varias novidades. Deixa seu like!

>>> Sabia que a gente tá comentando tudo sobre BBB no Twitter? Vem!