Dupla sertaneja é acusada de transfobia em letra de nova música e reabre debate sobre censura LGBTQIA+

A dupla Pedro Motta e Henrique entrou de cabeça no centro de uma polêmica após o lançamento de uma nova faixa na última quinta-feira (18).

Intitulada “Lili”, a faixa fala sobre um encontro onde uma travesti teria não teria revelado ao seu parceiro que não tinha uma genitália feminina. A faixa causou uma enorme revolta entre internautas LGBTQIA+ que acusaram a dupla de transfobia, principalmente por utilizar o termo “um travesti”, quando a nomenclatura correta é “uma travesti”. O ato foi visto como forma de desrespeito.

A influencer travesti, Aline Durso utilizou seu twitter para falar sobre o quão errado foi a atitude dos musicistas e o por que o Spotify e o YouTube não censuram esses tipos de faixas, já que é algo que acontece frequentemente com artistas LGBTQs, exemplo recente como o de Pabllo Vittar, que teve o videoclipe de “Bandida” bloqueado nas pesquisas do YouTube.

A dupla se posicionou acerca dos comentários e acabou piorando ainda mais a questão. Em um vídeo, Pedro Motta e Henrique se defenderam e disseram que não imaginavam que a nomenclatura estava incorreto e disseram que não são preconceituosos de forma alguma, e que inclusive até tem amigos que são LGBTQs, o que agitou ainda mais a revolta dos internautas.