Chega ao fim processo em que Miley Cyrus era acusada de plágio por “We Can’t Stop”

De acordo com o Consequence of the Sound, chegou ao fim a batalha judicial entre Miley Cyrus e Michael May, que acusava a intérprete de plágio em “We Can’t Stop”. O processo foi aberto em 2018.

A premissa da acusação com o título da faixa do rapper “We Run Things”, que é usada como parte da letra da canção de Miley: “And we can’t stop / And we won’t stop / We run things”. O caso ganhou fama e atenção das autoridades devido a música ser bem conhecida no país origem do homem.

Ainda no mesmo processo, Michael conta que o uso da frase, além de proibido, foi utilizado de maneira maliciosa, o que agrava ainda mais o caso.

O processo judicial foi encerrado conforme acordo entre ambas as partes, porém não teve o valor que Miley pagará ao rapper divulgado. A acusação estava entre U$S300 milhões de dólares, o que claramente pode ser desconsiderado, visto que houve acerto, ou seja, a equipe de Cyrus deve ter pago bem menos que o valor proposto.

Sobre o autor: /

Mineiro, 21, IG @mhsr03, Relações Internacionais