Adele é acusada pela Universidade de Oklahoma, nos EUA, de incentivar o assédio sexual em "Hello"

“Até grandes canções podem ajudar a normalizar o assédio sexual”, lê-se na chamada.

O último grande hit de Adele, Hello, parece não ter caído nas graças dos curadores do centro de igualdade de gênero da Universidade de Oklahoma, nos Estados Unidos: Kathy Moxley, a diretora, contou à FOX que o pôster foi designado para disseminar informação durante o que eles batizaram de Stalking Awareness Month.

Adele é acusada pela Universidade de Oklahoma, nos EUA, de incentivar o assédio sexual em "Hello"

Polêmico pôster da campanha

O que, traduzido livremente para o português, significa “Mês da Consciência do Assédio”.

“Esses pôsteres foram feitos para começar uma conversa necessária nos campus dos colégios”, disse a militante, “E para fazer as pessoas perceberem as mensagens subliminares nas canções pop.”

Eles ainda problematizaram a letra do hit Animal, do Maroon 5: “Baby, eu vou caçar você esta noite. Te seguir, te devorar viva”.

O time de Adele ainda não respondeu ao uso da canção na campanha conscientizadora.

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<