(Track by Track) Rihanna, Kanye West & Paul McCartney – FourFiveSeconds

Rihanna é a maior mina de ouro da indústria pop atualmente, e os executivos da Roc Nation devem se sentir extremamente felizes por terem a caribenha entre os seus protegidos. Com mais altos que baixos, a moça conseguiu construir uma carreira extremamente sólida sem nunca soar repetitiva, e adquiriu uma legião de fãs fiéis que comprarão qualquer produto relacionado à sua marca. São poucas as que conseguem isso, mas Rihanna estabeleceu total controle artístico de sua vida, e mesmo que tenha sido criticada no passado pela sequência interminável de álbuns anuais e incontáveis singles, o primeiro Icon Award a ser recebido por alguém (no caso, ela) prova que a cantora tem cacife para mandar e desmandar nesta indústria a seu bel prazer.

Quando se trata de primeiros singles, RiRi (como é carinhosamente chamada pelos seguidores na web) sempre tratou de impactar da melhor forma possível. Pon de Replay e S.O.S. foram os hinos reggae que a alçaram ao topo, enquanto outras como a já clássica Umbrella, com o Jay-Z, a explosiva We Found Love, com Calvin Harris, e a balada auxiliada por Sia, Diamonds, garantiram que ela por lá ficasse. E agora, treze hits número 1 e surpreendentes 25 singles no top 10 da Billboard depois, ela retorna novamente com FourFiveSeconds, seu primeiro single em dois anos após ter encerrado oficialmente a divulgação de Unapologetic, o sétimo disco de estúdio. Se Diamonds já tinha nocauteado quem esperava por outro smash carregado de eurodance como We Found Love, a primeira pista dada pela cantora sobre seu novo trabalho deixará todos com um ponto de interrogação pairando no ar à sua frente.

Em quase dez anos de carreira, se tem uma coisa que aprendemos sobre ela é que Rihanna é extremamente eclética. Reggae, R&B, pop e rock foram todos gêneros parte de seu repertório, e parece que agora a diva de Barbados está inclinada para as produções minimalistas, ou pelo menos é o que transparece no novo single, que traz participações de ninguém menos que Paul McCartney e Kanye West. E como já era de se esperar, FourFiveSeconds é bem diferente das duas outras colaborações de Rihanna e Kanye, All of the Lights e Run This Town.

Novamente um passo além de tudo o que Rihanna já fez, a faixa folk que também se inspira em vertentes country e pop não é, pra variar, o retorno que todos esperavam da hitmaker global. Afinal, parece mais uma faixa qualquer que, caso não fosse o primeiro single, poderia facilmente passar despercebida no novo álbum. Mas talvez seja esta a grande cartada da caribenha: o inesperado. Ela ainda quer provar que pode ser uma mulher de sucesso em qualquer esfera musical, e com a maioria dos outros gêneros já encubados em hits do seu gigante repertório, não me assustaria de forma alguma caso “Folkanna” também desse certo.

“I think I’ve had enough, I might get a little drunk, I say what’s on my mind, am I doing little time?”

Ainda mais com a vibe positiva da letra, que ficou por conta de McCartney e West em sua maior parte, e com seu tema de ânsia pelo final de semana, no qual todos podem se espelhar. Mas ainda é incerto dizer se esta foi uma escolha inteligente, ou se ela precisará de sua própria Anaconda na sequência, assim como Nicki Minaj precisou após a recepção morna de Pills N Potions. A música ainda está sendo digerida pelo público, mas se engolem qualquer coisa lançada pelo Jason Mraz ou pelo Ed Sheeran, uma música um pouco mais inteligente cantada por Rihanna e West, com o lendário Beatle tocando os instrumentos ao fundo será, acredito eu, facilmente acolhida pelas rádios.

De qualquer forma, é sempre bom ter Rihanna de volta. E pelo visto, sua voz soa melhor do que nunca.

>>> Já segue o PFBR no Facebook? Não? Tá perdendo varias novidades. Deixa seu like!

>>> Sabia que a gente tá comentando tudo sobre BBB no Twitter? Vem!