Olivia Rodrigo vira grande aposta para repetir feito de Billie Eilish e levar as principais categorias do Grammy 2022; saiba o por quê

Olivia Rodrigo vira grande aposta para repetir feito de Billie Eilish e levar as principais categorias do Grammy 2022; saiba o por quê

Em 2020, Billie Eilish fez história no Grammy ao vencer as quatro principais categorias do Grammy, conhecidas como o “Big Four“. Essas categorias consistem no “Álbum do Ano”, “Gravação do Ano”, “Música do Ano” e “Artista Revelação”.

A americana foi apenas a segunda artista a conseguir essa façanha quase inimaginável, sucedendo o cantor de pop rock Christopher Cross, que vinha segurando sozinho esse recorde desde 1981.

No Grammy deste ano, o “Big Four” foi dividido entre quatro artistas diferentes (e todas mulheres), Taylor Swift, H.E.R., Megan Thee Stallion e a própria Billie Eilish. Mas em 2022, já dois anos depois da quase inédita marca, outra artista feminina pode repetir rapidamente e não tão dificilmente essa proeza.

Logo no iniciozinho de 2021, uma garota de 17 anos chegou com seu single de estreia arrebatando tudo. Antes limitado à adolescentes e saudosistas da franquia “High School Musical“, Olivia Rodrigo veio literalmente atropelando tudo que via pela frente com o smash hit “drivers licence“.

O hype foi gigantesco e a música conseguiu debutar diretamente no topo da Billboard Hot 100, ficando lá por oito semanas consecutivas. Ao redor do mundo não foi diferente e todo mundo começou a se perguntar: poderia Olivia Rodrigo ser a estrela pop que estávamos precisando?

Assumida e orgulhosa fã de Taylor Swift, a menininha da Califórnia busca claramente suas inspirações na mais bem-sucedida artista da atualidade. Olivia compõe e compõe MUITO bem, trazendo seus dramas adolescentes à público e contando uma história através de sua música. Poucas conseguem fazer isso, principalmente se tratando de uma artista nova e até poucos meses atrás desconhecida do grande público.

Passado um pouco da euforia por “drivers license” claro que o questionamento já surgiu: será que a menina Rodrigo vai ser uma one hit wonder? Os haters (sim, com uma única música lançada ela já conseguiu um punhado bom de haters) tiveram que engolir à seco com o sucesso já imediato de “deja vu“, segundo single oficial da americana, que saiu agora no primeiro dia de abril.

>>> Olivia Rodrigo se torna a primeira artista a debutar os dois primeiros singles direto no top10 da Billboard

Lá em janeiro, quando lançou “drivers license“, Olivia disse que já tinha um EP quase pronto para lançar e claro que já estava planejando um álbum debute. A Interscope Records que não é boba nem nada já quis logo aproveitar o sucesso meteórico da garota e lançar um álbum. “Sour” sai no dia 21 de maio.

O disco contará com 11 músicas incluindo os dois hits já lançados. Já temos os títulos de todas as canções e é um melhor que o outro. Teremos mais histórias clichês de adolescente e eu não poderia estar mais ansioso e intrigado com isso. E tem mais. Quer dizer, não tem nada mais que isso. O álbum não tem parcerias. Ela está sozinha nessa.

Ainda não temos o time de compositores e produtores do álbum, mas tanto “drivers license” quanto “deja vu” tiveram apenas um colaborador, que ajudou Olivia Rodrigo na composição e produziu ele mesmo a música: Dan Nigro.

Daniel Leonard Nigro não é aquele compositor/produtor de estrelas e está chegando ao mainstream juntamente com Olivia. Os trabalhos dele sempre foram voltados mais para o indie pop, colaborando com Sky Ferrrera, Carly Rae Jepsen, Caroline Polachek e Conan Grey, grande amigo swiftie de Rodrigo.

Nem preciso falar que essa junção intérprete que compõe + um colaborador é uma fórmula de sucesso que a academia do Grammy simplesmente AMA. No “When We All Fall Asleep, Where Do We Go?“, Billie Eilish teve apenas seu irmão Finneas para ajudar. No mais recente AOTY “folklore“, Taylor Swift praticamente colaborou só com Aaron Dessner, com Jack Antonoff aparecendo em alguns créditos e também Justin Vernon e William Bowery (pseudônimo do namorado Joe Alwyn) apenas no dueto “Exile“.

E é agora que eu falo onde estou querendo finalmente chegar. Olivia Rodrigo está seguindo a fórmula perfeita para abocanhar o “Big Four” inteirinho no ano que vem. Até abril pelo menos, ela não tem grande concorrência em nenhuma das principais categorias.

drivers license” reinou absoluta durante os três meses inicias do ano e ainda está firme no top 10 da Billboard Hot 100, com “deja vu” já chegando para manter Olivia em alta, principalmente nos EUA. Com o “Sour” chegando no fim de setembro, com certeza teremos um terceiro single e podemos ter a consagração da cantora como o grande nome de 2021. Falta pouco para sabermos mais, mas ainda assim já sabemos muito do fenômeno Olivia Rodrigo.

O período de elegibilidade vai de setembro de 2020 até agosto de 2021. Ou seja, já passamos bem da metade desse prazo… mas entre junho e agosto chega o verão no hemisfério norte e, com a campanha de vacinação de vários países e sobretudo dos Estados Unidos dando certo, vai chover de lançamento bem pesado nesses três últimos meses.

A verdade é que até agora Olivia Rodrigo vem colocando de 3 a 4 dedos em alguns gramofones dourados na ainda longínqua cerimônia do Grammy 2022, que – se tudo der certo – será presencial e com várias performances importantes. O evento já tem dia, 31 de janeiro, e vai rolar em Los Angeles. Você também acha que Olivia Rodrigo tem potencial para abocanhar esse “Big Four”?

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<