Gloria Groove também comenta sobre boicote das rádios com artistas LGBTQ+

Ontem (12) nós comentamos sobre o boicote que a Pabllo Vittar sofre das rádios brasileiras. Tanto o Gorky, produtor que trabalha direito com a cantora, quanto os fãs, mostraram que isso é real. Hoje foi a vez da Gloria Groove comentar sobre o assunto e a cantora deixou bem claro que “a luta das drag queens para entrar nas rádios ainda é real”.

    Em entrevista, Gloria afirmou que é como se nas rádios tivessem “dinossauros da cultura”. A drag queen relembrou do lançamento do hit “Coisa Boa“, um dos sucessos do carnaval de 2019, onde enfrentou diversas barreiras impostas pelas rádios.

    Segundo a cantora, usaram várias desculpas para não tocar sua música, como sua velocidade. Pediram para Gloria diminuir um pouco porque estava muito rápida, porém, a faixa é um funk 150bpm.

    ” É um dos motivos mais absurdos possíveis para denotar que ‘aqui, drag não entra’ “

    Gloria Groove contou que, ter atenção das rádios ocorre apenas em casos bem específicos e que não importa o quanto a música esteja bombando em outros lugares, como na internet, onde o clipe de “Coisa Boa” atingiu 46 milhões, as rádios se recusam a tocar.

    Porém, a drag queen ainda afirmou estar em uma posição de privilégio por ser “um homem gay de peruca.” A cantora deixou claro que artistas trans e travestis sofrem boicotes muito mais rígidos, diariamente.

    Gloria explicou que convidar a cantora Monna Brutal para fazer uma parceria na faixa “Magenta Ca$h“, lançada ontem (12) junto do EP “Alegoria, é uma forma de dar visibilidade a artistas trans.

    É sempre bom lembrar que homofobia é crime!