Brad Pitt ameaça processar movimento heterossexual; entenda

Brad Pitt ameaça processar movimento heterossexual; entenda

Nos EUA o grupo “Super Happy Fun America” promoveu a primeira parada do “Orgulho Hétero” em 2019, para celebrar a contribuição da comunidade hétero para o mundo e afirmam que o grupo heterossexual é oprimido pela sociedade. O “mascote” escolhido desse ano foi o ator Brad Pitt que ameaça processar o grupo.

Brad Pitt têm uma carreira de sucesso nas telonas, o ator hétero, foi casado com Angelina Jolie por anos e tiveram filhos legítimos e adotivos.

Brad Pitt ameaça processar movimento heterossexual; entenda

Estes fatores foram essenciais para o grupo “Sun Happy Fun America” escolhê-lo para ser o grande nome do movimento hétero em Boston nos EUA. Em comunicado oficial  o grupo comemorou a escolha do astro.

“Nós da comunidade heterossexual escolhemos Brad Pitt como o nosso mascote! Parabéns ao Sr. Pitt por ser o rosto deste importante movimento social. Direitos heterossexuais são os direitos humanos.”.

>>> Documentário investigará se filho de Angelina Jolie e Brad Pitt foi roubado da mãe biológica; entenda

DEU B.O

Sem a autorização de Brad Pitt para estampar o evento que é uma “resposta” ao Orgulho LGBTQI+ que acontece em junho de cada ano.

O artista pediu para retirar sua imagem de imediato ou processaria o grupo. O “Sun Happy Fun America” ficou assustado com a ameaça que em menos de 24 horas, a imagem do ator foi retirada de todas as propagandas do evento, afirmou o site Hollywood Reporter.

Vale lembrar que recentemente outro astro de Holywood, Chris Evans, o eterno Capitão América, condenou o movimento pelo Twitter e escreveu que são pessoas que querem enterrar os próprios pensamentos gays sendo homofóbicos.

BRASIL E O MOVIMENTO HETEROSSEXUAL

Aqui no Brasil há um projeto do “Dia do Orgulho Hétero” encabeçado pelo vereador do Democratas (DEM) Carlos Apolinário, na Câmara Municipal do Estado de São Paulo.          

Os criadores do movimento no país afirmaram que é um projeto como qualquer outro, porém em agosto de 2011 o projeto foi vetado pelo então prefeito, Gilberto Kassab, alegando que o plano é inconstitucional.

“Não é necessário fazer grande esforço interpretativo para ler, nas entrelinhas do pretendido preceito, que apenas e tão só a heterossexualidade deve ser associada à moral e aos bons costumes, indicando, ao revés, que a homossexualidade seria avessa a essa moral e a esses bons costumes”, afirma o texto.

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<