Advogados analisam que Sony deve ceder quebra de contrato à Kesha devido pressão na internet

Um dos assuntos mais comentados da semana na Indústria da música foi a perca da causa de Kesha no resultado parcial do processo da cantora contra Dr. Luke na última sexta-feira (19), onde foi impedida de receber uma liminar para lançar canções inéditas enquanto o processo contra o produtor está passando pela justiça.

Neste meio tempo, milhares de mensagens de fãs, um abaixo-assinado e diversos artistas apoiaram Kesha junto com a hashtag #FreeKesha, colocando a discussão sobre estupro e abusos no mercado fonográfico como tópico quente dentre o público da internet.

Mais de 50 artistas já demonstraram apoio à Kesha no seu processo contra Dr. Luke

Mãe de Kesha agradece Taylor Swift por doação de 250 mil dólares para cantora

O site “Hollywood Reporter” resolveu fazer uma matéria especial apontando as possibilidades da Sony – gravadora no qual Kesha está associada – ceder a quebra de contrato e livrá-la das ‘garras’ de Dr. Luke.

Assinado no começo de sua carreira, os papéis exigem que ela faça mais seis discos para a empresa com Luke, o que não deve obviamente acontecer por conta dos fatos que explodiram na rede mundial de computadores nesses últimos três anos. O renomado portal também chamou alguns advogados especialistas para apontar a possibilidade de Kesha se tornar livre da gerenciadora de carreiras, o que não deve ser uma tarefa fácil. No entanto, eles analisam que, devido a pressão nas mídias sociais e também a repercussão negativa da própria Sony como “vilã” da história na rede, as ações de mercado deles podem cair bastante, o que seria quase fatal para a intérprete de “Die Young” ser liberada por pressão e negócios.

kesha-dr-luke-tribunal

 “Tudo tem um preço”, disse o advogado James Sammataro. “Provavelmente há um limite a ser analisado no qual a Sony – devido as crescentes mobilizações sociais na internet – vai considerar firmemente quebrar o contrato com a Kesha”, completou.

E continuou:

“Deixar Kesha livre de Dr. Luke é claramente o certo a se fazer, visto de uma perspectiva de relações públicas, mas a partir de uma perspectiva criativa, existe um risco para a Sony. Tudo o que sei é que ela tem sido bem sucedida com Dr. Luke”

Ainda em dezembro do ano passado, Daniel Zucker, vice-presidente executivo de negócios e assuntos jurídicos da RCA Records, afirmou em audiência que essa quebra de contrato pode afetar a Sony de vários aspectos, indo desde a falta de credibilidade até a procura de novos artistas.

“Se Kesha for permitida de ignorar suas obrigações de exclusividade para Kemosabe, sem sequer uma alegada violação do acordo com a gravadora ou multa…..a credibilidade da Sony dentro da indústria da música será irremediavelmente prejudicada”, escreveu Zucker em um depoimento. “Se for permitido isso a Kesha sem as devidas punições ou toda as ações judiciais, também é uma espécie de exemplo para que outros artistas possam fazer o mesmo, deixar o contrato pela metade, ou tentar quebrar as regras da gravadora ignorando os contratos”, afirmou.

Ao mesmo tempo, Dr. Luke, o produtor, resolveu se manifestar ainda ontem (22) no Twitter desmentindo tudo que foi falado por Kesha. Ele afirmou que não estuprou a cantora e que ela está fazendo isso apenas por publicidade e para se livrar de forma mais rápida dos contratos tanto com ele quanto com a Sony.

“Ela era minha irmãzinha” – Dr. Luke se defende de ataques de fãs de Kesha no Twitter

“Ela está livre para fazer o que quiser” – Advogada de Dr. Luke chama Kesha de mentirosa

>>> Já segue o PFBR no Facebook? Não? Tá perdendo varias novidades. Deixa seu like!

>>> Sabia que a gente tá comentando tudo sobre BBB no Twitter? Vem!