#W15: O que esperar do novo álbum da Wanessa?

Wanessa já está se preparando para lançar o seu oitavo álbum de estúdio e dentro desses 15 anos de carreira, com muita mudança e versatilidade, a cantora planeja unir o passado, o presente e o futuro no novo projeto. A ideia parece ser bem ousada e a proposta de uma nova mudança pode até parecer assustadora para muita gente, mas não para Wanessa.
Com uma carreira sólida, Wanessa já dominou as rádios, o público adolescente, o GLS, o adulto, o internacional e vários outros focos de mercado. 7 álbuns, 10 turnês e 27 singles parecem ser o suficiente para que Wanessa possa explorar uma nova temática, mas o que esperar do #W15?


O que já se sabe é que Wanessa está envolvida no processo de composição do novo disco e parece que finalmente teremos novas faixas de Wanessa em português (desde Deixa Rolar com o Naldo em 2013), e pra ter uma prévia do que pode vir, podemos citar a maioria das faixas do álbum W de 2005, onde Wanessa colaborou bastante como compositora e trabalhou com Cesar Lemos. Foi dele que saíram alguns hits consagrados da cantora: Amor, Amor, Não Resisto a Nós Dois, Louca e Culpada. A parceria com Cesar Lemos foi confirmada por Wanessa em suas redes há alguns dias.
Como um exemplo mais próximo da nova realidade da cantora, o DNA trás a balada It’s Over e Blind Faith, compostas por Wanessa e Mr. Jam. E por falar em Mr. Jam, o produtor também está incluído no #W15 e podemos esperar muitos hits do novo material.

Apesar do DNA não ter agradado tanto o público ao qual era foco, pudemos ver que Wanessa está indo no caminho certo e usando a equivalência de seus álbuns em sua carreira, Wanessa sempre soube desenvolver seus projetos e guiá-los até que a qualidade do material se tornasse superior, foi assim de O Amor Não Deixa, do álbum Wanessa Camargo (2000) até o W (2005) onde Wanessa remodelou seu pop teen e trouxe novas propostas. Seguindo com seu amadurecimento pessoal e artístico, em 2007 tivemos o CD Total com Não To Pronta Pra Perdoar e Me Abrace/Abrazamé encerrando um ciclo pop romântico em sua carreira.

Wanessa também tem um outro ponto bastante positivo: é uma verdadeira ‘camaleoa‘ não só em sua sonoridade, mas como no seu visual e o ápice de tudo isso, nós acompanhamos em 2009 com o lançamento do álbum Meu Momento que trouxe os hits Fly (feat. Ja Rule) e Não Me Leve a Mal. Desde então, um novo ciclo era iniciado na carreira de Wanessa.

A mesma equivalência utilizada em seu material em português pode ser usada para seus novos projeto. A ‘brasilidade’ presente em Sticky Dough recentemente se modernizou no hit Shine It On para o DVD DNA Tour, e além dele, Messiah e Atmosphere apresentam uma qualidade sonora superior a maioria das faixas do DNA. É a prova de que Wanessa pode [e vai] desenvolver uma nova proposta em suas futuras faixas.

É fato que após 15 anos, a ousadia de Wanessa ainda permanece bem evidente. Pra quem duvidava de toda a audácia artística de Wanessa, com toda certeza veio sendo impressionado com a versatilidade da cantora. O #W15 está chegando trazendo uma nova fase e uma nova proposta, talvez bem mais arriscada que muitas outras do passado, afinal, são 4 anos sem um novo disco e esse período é suficiente para que um artista com um talento genuíno possa colocar seus projetos a mesa.

XANIRON MI