Synthwave é a inspiração oitentista do momento na música pop; conheça o estilo

Cenários de neon com cores tonificadas, geralmente em azul turquesa e rosa bebê. Você deve ter visto esse padrão esquematizado em algum videoclipe da música pop por aí, e de forma frequente.

Depois do Bubblegum Bass, imagética que tomou o final do ano de 2014 e invadiu os primeiros meses de 2015, como no videoclipe de All About The Bass da Meghan Trainor, chegou a vez de outro estilo tomar proporções arrebatadoras nas produções visuais de famosos videoclipes: o Synthwave.

cats

Categorizado como um “movimento” retrô, o Synthwave nada mais é que um estilo musical e artístico que celebra os anos 80 e as perspectivas da tecnologia nas últimas décadas do século XX. Em resumo é um mix entre a boa disposição da década de ouro da pós-discoteca, com uma perspectiva de retrô futurismo, emulando cenas de ficção científica e ação, tanto nos filmes mais antigos e o mundo dos videogames da época.

Na parte visual, são os jogos eletrônicos que vão tornar o estilo mais interessante. A mistura do neon com cores claras e dispersas são reaproveitadas em videoclipes lançados por Rihanna, Justin Bieber ou Demi Lovato, através de cenas com uma iluminação vibrante em um degradê de luzes características do “movimento”: azul, rosa, amarelo e roxo, que é consequentemente formado pela mistura do azul e vermelho.

Capa do álbum da “Gunship”, um dos destaques da Synthwave em 2015.

O Synthwave não se se restringe a parte visual. Também é uma estética de sons e segue a mesma característica no sentido de trazer de volta os efeitos sonoros analógicos dos anos 80 e muitos sintetizadores, como jogos de ação em fliperamas e as perspectivas mais rústicas de efeitos sonoros em filmes e animações. Podemos claramente ouvir isso na música Kill V. Maim de Grimes, presente no Artangels. Além da cantora personalizar um ambiente de animação para videogames no clipe, ainda vemos vários samples na faixa que são parecidos com jingles e sons de jogos em dispositivos da penúltima década do século passado.

Em questão de proposta, o Synthwave é totalmente inverso ao Vaporwave, que surge com força nos anos 90 no sentido de ser “jogado” e aproveitar colagens mais cruas de vários universos e a escolha de tons mais escuros, fontes mais abstratas e um pensamento dadaísta-cubista na sua formação visual.

Como exemplo do vapor, que sempre está em alta no universo do alternativo, temos o clipe nacional de Dá 1 Like da Banda Uó:

Confira alguns videoclipes com inspirações no Synthwave, a trend contrária:

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<