"Se as mulheres querem aparecer, elas precisam se esforçar mais", diz presidente do Grammy sobre a falta de artistas femininas em vitória nas categorias principais

Um dos assuntos que mais geraram revolta depois do Grammy Awards deste ano, que aconteceu na última noite de domingo (28), foi a falta de mulheres como vencedoras nas categorias principais. Apenas Alessia Cara levou um gramofone no show de destaque, na categoria de Artista Revelação. SZA, por exemplo, que foi a mulher mais indicada da edição 2018, saiu da premiação com as mãos abanando.

A dominação masculina consagrou Bruno Mars – que levou todos os gramofones no qual concorria, 6 – e Kendrick Lamar – que faturou 5 – mas deixou artistas como Jay-Z, líder de indicações no ranking geral, apenas “esquentando banco” com sua família na plateia, Blue Ivy e Beyoncé.

https://www.portalfamosos.com.br/vencedores-grammy/

Ken Ehrlich, o presidente da Academia, em entrevista para o site Variety, rebateu críticas sobre o excesso de artistas masculinos na vitória, desafiando as mulheres a “intensificarem seus trabalhos e qualificá-los” para que consigam ganhar mais prêmios no próximo ano. Ele ainda citou Taylor Swift como uma de suas apostas para 2019, esperando que as indicações e possíveis vitórias da cantora – se toda a Academia aclamar o reputation – vingue a edição 2018 para as pessoas que não estão satisfeitas.

“Vamos começar com uma coisa… as mulheres que apresentam criatividade em seus corações e almas, e que querem ser artistas musicais, engenheiras de som, produtoras ou querem fazer parte da indústria em um nível executivo…. Precisam intensificar seus trabalhos, serem mais competitivas, porque assim são bastante bem-vindas. Eu não tenho experiência pessoal com esses tipos de problemas que elas enfrentam, mas acho que é algo que está acima de nós tornar o ambiente da premiação um local de oportunidades para todas as pessoas que querem ser criativas o suficiente e andando como carro-chefes para a próxima geração de artistas.”

https://www.portalfamosos.com.br/para-o-timesup-kesha-interpreta-praying-com-camila-cabello-cyndi-lauper-bebe-rexha-e-coral-no-grammys/

Sobre Lorde e os problemas enfrentados pela cantora para uma apresentação no evento, além de receber uma única indicação – Álbum do Ano no meio de tantos homens – ele comenta:

“Esse tipo de coisa não é algo controlado por mim, eu produzo o programa no geral. Não sei se foi um erro. Isso é uma questão de várias escolhas, temos uma caixa de votos que fica bastante cheia, muitas pessoas dão suas opiniões. Ela teve um ótimo álbum, mas não temos como organizar tudo para agradar todos.”

Sobre Taylor Swift:

“2017 não foi o ano dela. Estava meio fora de eixo. Espero que a vejamos no próximo ano.”

SZA perde em TODAS as cinco categorias que estava concorrendo no Grammy