Sam Smith: ''sem Gaga, eu não poderia estar onde estou hoje''

Sam Smith sempre foi um fã apaixonado por música pop.

Desde cedo, quando ainda estava se descobrindo, o cantor que é um dos destaques desses últimos meses, via nas Divas Pop, assim como a maioria dos gays, um meio de escapismo do preconceito e repressão que sofriam, antes e depois de se assumirem. Depois de elogiar Beyoncé, falar sobre o Grammy e ainda dizer que ‘Blackout’ é o seu álbum predileto de Britney Spears, o cantor se rendeu a outra etrela bastante conhecida do cenário LGBT, Lady Gaga na entrevista para ‘Rolling Stone’.

Sam revelou que quando tinha 17 anos, era obcecado pela artista, tanto que faltou aula para ir a um de seus shows. Ele também disse que sem a ‘Mother Monster’ não estaria onde está agora, pois foi ela que o encorajou e vencer as barreiras:

“Eu estava na primeira fila, totalmente perto da Gaga!”, diz ele. Infelizmente, Sam deixou a nota falsa aberta em um computador da escola e acabou pegando três dias de detenção e um grande problema em casa. “Eu faria tudo de novo em um piscar de olhos”, diz ele quando lembra que mentiu para ir ao show da Lady Gaga, a ‘Monster Ball Tour’. “Sem Gaga, eu não estaria aqui agora”. Hoje, Gaga sabendo que ela inspirou Smith é “uma das experiências mais poderosas que teve como artista”. ”Eu fui Sam. Eu ainda sou Sam em uma série de maneiras.”

Recentemente, Gaga também rendeu elogios ao intérprete de ‘Stay With Me’:

“Quando eu assisti sua performance no SNL, eu sabia o quão poderoso era”, diz Lady Gaga. “Eu estava com o meu namorado, prestes a sair em turnê novamente no dia seguinte, e Sam estava cantando ‘Stay With Me’. Nós dois tivemos uma reação emocional tão honesta. Lembro-me de pensar o quão único que era ter uma reação tão visceral poe um artista moderno”.

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<