Rock in Rio anuncia metas de sustentabilidade a serem cumpridas até 2030

Rock in Rio anuncia metas de sustentabilidade a serem cumpridas até 2030

No ano em que celebra 20 anos de ações Por Um Mundo Melhor, o maior festival de música e entretenimento do mundo reforça o seu compromisso para a construção de um futuro melhor estabelecendo novas metas de sustentabilidade até 2030 e que já começarão a ser implementadas nas edições de Rio e Lisboa em 2022

Foi há 36 anos que o Rock in Rio cantou pela primeira vez “que a vida começasse agora, e o mundo fosse nosso outra vez”. Hoje, após adiar o festival no Rio de Janeiro pela primeira vez na história do festival e de dois adiamentos consecutivos em Lisboa por conta da pandemia, esta letra ganha um significado ainda maior e o festival está pronto para voltar a abrir as suas portas. Através da música e do entretenimento o festival se propõe a dar palco a conversas relevantes que contribuem para a construção de um futuro melhor.

Acreditando que esse futuro deve ser construído hoje – proposta que o festival iniciou há 36 anos e que tem reforça desde que assumiu o posicionamento “Por Um Mundo Melhor” há 20 anos, ou do abraçar da sustentabilidade quando há 15 anos se tornou no primeiro grande evento a compensar a sua Pegada Carbônica -, o Rock in Rio vem agora reforçar o seu compromisso em ir ainda mais longe, anunciando um conjunto de metas de sustentabilidade até 2030 que visam aumentar o seu impacto positivo nos pilares social, ambiental e econômico.

Alinhadas com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável promovidos pela ONU, estas metas começam já a ser concretizadas nas edições de 2022 do festival – em Portugal e no Brasil – e propõem-se, ao longo dos próximos anos, a capacitar 100 mil pessoas, ser lixo zero em todas as edições do festival (0% de lixo em aterro), ter zero desperdício alimentar em todas as edições, envolver 100% dos stakeholders na sua política de sustentabilidade, ser um evento 100% acessível, inclusivo e plural, e garantir todas as condições de segurança, saúde e bem-estar adequadas a 100% dos envolvidos na construção da Cidade do Rock.

Metas de Sustentabilidade Rock in Rio até 2030

No ano em que comemora 20 anos do projeto “Por Um Mundo Melhor”, o Rock in Rio assume publicamente, pela primeira vez, o compromisso de ir ainda mais longe nesta sua missão, anunciando um conjunto de metas de sustentabilidade.

Depois de se ter estabelecido como o primeiro grande evento de música do mundo a compensar a sua Pegada Carbônica (há 15 anos) e a ter a certificação ISO 20121 – Eventos Sustentáveis, os esforços do festival no caminho da sustentabilidade não pararam por aqui e do seu legado já fazem parte marcos como ter reduzido em 62% o consumo de combustível – mesmo tendo aumentado para o dobro de sua dimensão -, ser Lixo Zero nas edições de Lisboa , ter 80% do lixo reciclado nas edições do Rio de Janeiro, no Brasil ter realizado a separação de resíduos por catadores que rendeu em média R﹩50.000 por edição para as cooperativas de catadores envolvidas, ter facilitado o acesso à saúde a mais de 500.000 pessoas ou ter investido 35 milhões de euros em projetos sociais e ambientais que beneficiaram 1 milhão de pessoas, apoiaram mais de 200 entidades, financiaram 28 projetos da UNESCO e auxiliam 56.000 beneficiários anualmente, em todo o mundo.

Agora, além de dar continuidade ao seu Plano de Sustentabilidade, o festival estabelece metas ambiciosas para 2030, que se concentram essencialmente nas temáticas que o Rock in Rio acredita serem as mais necessárias para alimentar conversas que serão cada vez mais relevantes: educação, sistemas alimentares, alterações climáticas, economia circular, inclusão e pluralidade. Para a concretização destas metas existem já várias iniciativas desenhadas que começarão a ser implementadas desde já, e em conjunto com os parceiros do Rock in Rio, nomeadamente promover estágios no festival para pessoas em situação de carência econômica e social, dando uma perspectiva de futuro e preparando-os para o mercado dos eventos; reduzir a geração de resíduos eliminando a embalagem primária e incentivando a economia circular entre os parceiros na Cidade do Rock; promover alimentos sazonais e locais, promover a dose certa para evitar desperdício de alimentos e continuar a doar, em Lisboa, as sobras alimentares e implementar a doação no Rio de Janeiro; melhorar a acessibilidade e deixar de forma vincada na comunidade que o Rock in Rio é um evento para todos; promover o descanso, a hidratação e a alimentação adequadas entre todas as equipes presentes na Cidade do Rock; e envolver na política de sustentabilidade do festival, através de campanhas dedicadas, todos os parceiros.

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<