RESUMÃO: entenda como começou o desentendimento entre Taylor Swift e Scoot Braun em briga que parou a internet

A bruxa tá satânica hoje!

No último domingo (30) a internet foi palco de uma das maiores brigas envolvendo artistas no ano de 2019. Algo que incluía apenas o empresário Scooter Braun e Taylor Swift, acabou envolvendo artistas como Justin Bieber, Ariana Grande, Todrick Hall, Cara Delevigne, Demi Lovato, o rapper Ty Dolla $ign e Charlie Puth.

A briga que se tornou pública na tarde de domingo (30) atravessou esta madrugada de segunda-feira (1) com diversas acusações, alfinetadas e muita polêmica. Tudo começou quando o empresário de Justin Bieber anunciou a compra oficial da Big Machine Records, antiga gravadora de Taylor Swift e como esperado, obtendo direitos legais de todos os trabalhos já realizados pela empresa, inclusive os seis álbuns de Taylor, que atualmente representa quase 90% do lucro financeiro da companhia.

Scooter Braun compra a Big Machine Records, antiga gravadora de Taylor Swift; saiba detalhes do acordo

Mas o caldo azedou mesmo quando Taylor Swift decidiu tornar público a batalha mortal que trava contra o empresário há anos. Segundo Taylor, Scooter sempre tentou destruir a carreira da loira e agora com todos os direitos sob os seis discos lançados por Swift, a cantora se viu desesperada ao descobrir que alguém que sempre tentou lhe por pra baixo, agora vai usufruir dos lucros de mais de 10 anos de trabalho duro.

“Eu descobri que Scooter Braun compraria meu catálogo quando foi anunciado publicamente. tudo o que eu consegui pensar foi sobre o incessante e manipulativo bullying que sofri nas mãos dele por anos.

Assim como quando Kim Kardashian orquestrou e, ilegalmente, gravou parte de uma chamada telefônica e a vazou na internet, então Scooter e seus dois clientes fizeram bullying sobre o assunto na internet [Justin Bieber e Kanye West, na época]. ou quando o seu cliente, West organizou uma vingança musical com um vídeo que apresenta meu corpo nu. Agora Scooter roubou o trabalho da minha vida, que não foi me dada uma oportunidade de adquirir. essencialmente, meu legado musical está nas mãos de alguém que tentou destruí-lo”.

Emocionada, taylor swift escreve carta aberta sobre a venda de sua antiga gravadora: “isso é o pior que poderia acontecer”; confira na íntegra

Sem mais volta, a polêmica explodiu de vez e diversos internautas começaram a entrar em defesa de Taylor. Após saberem da carta da jovem, Ariana Grande e Justin Bieber, que haviam se pronunciado anteriormente, parabenizando o empresário, recuaram no anúncio, Justin ainda pediu desculpas para a cantora por antigos desentendimentos, mas se manteve ao lado de seu mananger.

Justin Bieber se desculpa com Taylor Swift, mas defende Scooter Braun e dispara: “você passou dos limites”

Se teve gente que ficou do lado de Scooter, Taylor Swift também ganhou seu bonde. Halsey, Iggy Azalea, Cara Delevigne, Todrick Hall, Katy Perry e a ex-namorada de Bieber, Lisa May, entraram em defesa da intérprete de “Me!”.

Katy Perry fez questão de assinar uma petição criada pelos seguidores de Swift, pedindo para que Taylor relance todos os discos sob selo da Universal Music e ainda enviou uma mensagem de apoio para a amiga.

“EU ESTOU COM A TAYLOR. FIQUE FORTE, MINHA AMIGA!”

Halsey também ficou ao lado de Taylor dizendo que a loira sempre foi a razão de a intérprete de “Nightmare” compor todas as suas músicas.

Halsey se junta ao apoio nas redes sociais a Taylor Swift e rasga elogios a cantora: “Razão pela qual eu sempre insisti em compôr minhas próprias músicas”

Já Lisa May, mudou o foco do ataque e não poupou fogo pesado ao seu ex. Em uma série de mais de 20 tweets, Lisa chama Justin de “bandido”, “demônio” e vários outros adjetivos. Confira na integra:

Ex-affair de Justin Bieber expõe o cantor, o chama de “fantoche”, “ladrão” e “demônio” e demostra seu apoio a Taylor Swift e Selena Gomez

O coreografo e cantor Todrick Hall, que já trabalhou com Scooter e também com Swift, saiu ao lado da cantora, afirmando que os seis anos que trabalhou com o empresário foram os piores da vida dele. Todrick afirmou que sofreu ameaças por parte de seu ex-mananger:

“Para aqueles que estão se perguntando, eu larguei Scooter Braun há muito tempo… Estou muito triste ao saber dessa notícia, mas não estou chocado. ele é uma pessoa má, que se preocupa apenas com seu dinheiro e em alimentar seu ego nojento. Eu acredito que ele seja homofóbico e eu ouvi de sua própria boca que ele não é um fã de swift. Eu realmente espero que a justiça seja feita e que a música de minha amiga caia nas mãos de um ser humano melhor”.

Horas mais tarde, já entrando na madrugada, Demi Lovato decidiu escolher seu lado e claro, apoiou seu também empresário, curtindo mensagens enviadas por Justin e a esposa de Scooter sobre o caso versus Taylor Swift, mas além de ficar ao lado de Braun, Demi também decidiu confrontar Todrick Hall referente as acusações que mencionadas acima.

Demi Lovato confronta Todrick Hall sobre afirmação de ameaça e defende Scooter Braun em postagem no Instagram: “Ele é um bom homem”

Já possesso pelo ocorrido com Taylor, Todrick ficou sabendo das mensagens de Demi e soltou o verbo pra cima da intérprete de “Fall In Line”:

“Demi, primeiramente… porque você deletou seu tweet? Segundo, eu te amo e escuto suas músicas religiosamente, mas terceiro, você não pode comparar sua experiência com a minha, especialmente com alguém que eu estive por seis anos e você acabou de assinar com ele.

Um conselho, só porque você tem um amigo negro não significa que você não pode ser racista. E só porque você não está protestando contra o casamento gay não significa que você não é homofóbico. Eu disse o que disse e acredito o que acredito. Além disso, pare de usar seu único cliente que se identifica como queer para defender você. Não tem como a Demi ver o meu tweet, isso significa que alguém da sua equipe está chegando até eles, usando-os para defendê-lo. lute suas próprias batalhas.”

Com Scooter assumindo oficialmente os direitos da Big Machine, não demorou muito até as primeiras mudanças acontecerem. Todas as vendas puras do disco de Swift foram zeradas, ou seja, internautas que pagaram para ter seus álbuns via iTunes, perderam o acesso aos discos e para obter-los novamente, é necessário compra-los. A ação deu tão certo que em questão de horas, milhões de cópias dos discos foram vendidas ao redor do mundo.

O impacto: remoção de vendas puras fazem todos os álbuns de Taylor Swift subirem altas posições no iTunes US

Cansado só de ser atacado, Scooter decidiu dar o troco ainda mais pesado. Um de seus amigos próximos compartilhou no Instagram uma notícia em que o empresário adquiriu a gravadora por mais de 300 milhões de dólares e escreveu na legenda, “quando seu amigo compra a “Taylor Swift“. Na tentativa de ironizar o desespero da cantora, o empresário repostou a imagem em seu stories, no Istagram.

Print do Stories de Scooter Braun

Print do Stories de Scooter Braun

Já era de manhã do dia seguinte, mas o caso ainda continuou rendendo polêmica e quem entrou em defesa de TayTay foi a mãe de sua grande amiga Selana Gomez, Mandy Teefey. A mãe da intérprete de “Fetish” aplaudiu a coragem de Taylor de incentivar novos artistas a protegem seus trabalhos, confira a declaração na  integra:

“Taylor, eu gostaria de poder te dar um grande abraço neste momento! Obrigado por falar sobre isso e ensinar a jovens futuros artistas sobre protegerem a si mesmos. eu não entendo o prazer dos jogos de poder para simplesmente machucar pessoas! Negar a você a possibilidade de ser dona do seu sangue, suor e lágrimas, especialmente como uma jovem mulher que cresceu na frente do mundo, é de quebrar o coração! Yael Braun, [esposa de scooter] eu adoraria que pudéssemos ter um encontro de mãe para mãe, privado, para bebermos um chá e conversarmos”.

Ainda não se sabe como vai ficar Taylor Swift em relação aos seus projetos antigos, mas ao que tudo indica a cantora já abriu mão de seu passado, pelo menos por enquanto.

Será que essa história ainda vai ter mais polêmica?