Relembre 4 contribuições de Wanessa Camargo no cenário pop nacional

Relembre 4 contribuições de Wanessa Camargo no cenário pop nacional

Durante seus 20 anos de estrada Wanessa Camargo ajudou a moldar a cena pop nacional, ela começou sua carreira aos 17 anos depois de estudar dança e teatro, passou por alguns estilos mas sempre se mantendo fiel no que acreditava, muitas dessas escolhas foram arriscadas, explorar gêneros novos, mudar sua imagem, buscar novos horizontes, relembre;

Introdução do Country pop

Após assinar com a BMG (hoje Sony Music) no fim de 1999, Wanessa escolheu o gênero como aposta para seu álbum de estreia, inspirado na cantora Shania Twain; como na época não haviam grandes nomes no estilo a cantora foi enviada para Nashville, conhecida como capital do country nos Estados Unidos, foi lá onde conheceu Jason Deere produtor americano responsável pelo hit “O Amor Não Deixa”, a música originalmente foi gravada em inglês sob o titulo de “Love Won´t Let Me” e depois traduzida para o português, ambas as versões entraram no projeto, com o single atingindo o topo das rádios do país, feito que foi repetido por “Apaixonada Por Você”, tornando Camargo a primeira cantora brasileira a ter dois singles consecutivos em nº 1 com o mesmo álbum:

Precursora no Reggaeton

Em 2005 após se afastar da mídia a cantora começa a produzir o álbum “W”, nele grava a canção “Amor, Amor” um reggaeton produzido por César Lemos, na época o gênero começava a bombar na América do Sul mas não havia chegado com força ao Brasil, a artista decidiu lança-la como o primeiro single do disco, apesar de ter uma difícil aceitação das rádios brasileiras por ser considerado muito diferente do habitual. Um tempo depois a música se consagrou como um grande sucesso, sendo ainda utilizada como trilhas sonoras, “Amor à Vida” (2013) e Vai Que Cola – O Filme (2015):

Show teatral: W in Tour – Era Uma Vez

Com o sucesso do disco “W” a cantora saiu em turnê em 2006, mas com um formato totalmente diferente do habitual, ela decidiu realizar um espetáculo teatral no melhor estilo “Brodway”, algo que até então não havia sido feito no Brasil. A turnê foi considerada um das produções mais caras do país, dirigida por Marilia Pera contava com um curta-metragem criado pelo cineasta Fernando Grostein Andrade, 11 bailarinos, roteiro, atores, 8 trocas de roupa, cenário inspirado no universo burlesco e contendo direção criativa de Giovanni Bianco. O show foi visto por um público de mais 800 mil pessoas, sendo o maior público em Praia Grande para 110 mil.

Expansão da música eletrônica

Pouco depois da música “Fly” ser primeiro lugar no Brasil, Wanessa decidiu mudar os rumos, com ajuda do produtor Mister Jam migrou para o cenário de música eletrônica, por conta da cantora colocar músicas em trilhas sonoras de novelas, fazer dezenas de capas de revistas e performar nos principais programas de televisão do país o gênero acabou tendo uma repercussão nunca vista antes, se expandindo cada vez mais e tornando o que antes nicho em algo muito popular com grandes festas e até premiações próprias, após sua saída em 2015 o gênero acabou regredindo em sua popularidade. Da fase extraiu sucessos como “Falling For U”, “Stick Dough” e “Shine It On”.


>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<