Rapper coreano San E lança música intitulada “Feminist” e causa polêmica por letra controversa; entenda

Na última sexta-feira (16), o rapper coreano San E liberou uma faixa surpresa, divulgada pelas suas redes sociais, chamada “Feminist”. As rimas controversas despertaram críticas não apenas pelos amantes da música e, principalmente, do rap coreano, como também de outros artistas do ramo.

Um coro feminino gritando “se matem” é o primeiro elemento da música de San E. O rapper, que se autointitula feminista, escreve versos opinativos e polêmicos sobre o assunto, como em “Sister, why mad? blame the system, not men” – Irmã, porque está brava? Culpe o sistema, não os homens – em tradução livre.

O eu-lírico de “Feminist” se diz desejar igualdade entre homens e mulheres, mas se contradiz em suas críticas ao julgar alguns comportamento de mulheres, como não usar sutiã ou cortar os cabelos curtos.

Em poucos dias desde o lançamento, San E foi duramente criticado e já recebeu duas “diss-tracks” – faixas de rap com teor de desaprovação e ataque, lançadas em resposta a outra música. A primeira é faixa “No You Are Not” do rapper sul-coreano JerryK ao qual foi respondida por San E, que lançou ontem o rap “6.9 cm”. A rapper coreana SLEEQ também deixou clara sua opinião ao liberar a faixa “Equality” como resposta a San E.

Após a polêmica, San E postou uma explicação em seu Instagram. Inicialmente, o artista diz que não queria escrever um esclarecimento sobre o assunto, mas mudou de ideia após uma amiga e fã criticar o trabalho.

“‘Feminist’ não é uma música expressando ódio às mulheres. Se você escutar mais uma vez, verá que o narrador da canção não sou eu”, afirma o rapper. “O significado original da música é criticar pessoas como o eu lírico da composição: pessoas que dizem respeitar feministas, igualdade de gênero e mulheres por fora, mas por dentro são hipócritas e contraditórias em suas palavras e em seu jeito de agir e falar com mulheres”, elucida o músico.

San E ainda destrincha a letra em seu texto, explicando seus versos na visão de um eu-lírico machista e odioso.

Ao final da postagem, o cantor pede desculpas e diz esperar que a confusão seja resolvida. Reforça também estar aberto a críticas.

O que vocês acham sobre o caso? Seria realmente um mal entendido ou apenas mais um Dado Dollabela no mundo?

Confira: