Quando a onda do hate ultrapassa os limites básicos e fere a integridade dos artistas; confira

Com o avanço das mídias sociais, a onda do haterismo começou a ser disseminada cada vez mais, ultrapassando a barreira do respeito, e começando a ferir a integridade dos artistas, principalmente em momentos críticos envolvendo saúde, tanto física, quanto mental, onde alguns deles já se encontraram até mesmo internados.

Nem em casos como esses, é o suficiente para começarem a exercer a chamada empatia, no lugar, continuam a lançar ataques pessoais, e até torcidas desejando a morte do dito cujo. Apesar de serem pessoas públicas, isso não da o direito a ninguém de fazer “piadas” envolvendo suas doenças crônicas, criar body shaming (ato de zombar da aparecia física de alguém), ou praticar ataques de cunho racista, machista ou lgbtqfobico, não é engraçado quando se fere os sentimentos de alguém.

Após já ter sido vitima de body shaming, Selena Gomez mostra com orgulho sua cicatriz, causada durante seu transplante renal

Não são todos que conseguem ser fortes, para enfrentar a disseminação de ódio gratuito, gerada através da internet, muitos deles acabam criando vicio em álcool e drogas, outros desenvolvendo alguma doença séria, como depressão, crise de pânico e ansiedade, ou até mesmo no pior dos casos cometendo suicídio, causado pela perseguição. As pessoas precisam começar a entender, a importância da palavra respeito, não fazer com o outro aquilo que não queria que fizessem contigo.

Se você não gosta de uma pessoa, não precisa ataca-la gratuitamente, apenas a ignore. Por trás de todo o glamour do mundo das celebridades, existem seres humanos, pessoas que possuem sentimentos, fragilidades e inseguranças.