Primeira capa do ano da Billboard, Normani fala sobre carreira solo, liberdade fora do Fifth Harmony e representatividade negra feminina

Prontíssima para arrasar em 2019, Normani abre o ano para a Billboard americana, estampando a capa da nova edição da mesma.

OUT JAN.10, 2019 - DO NOT USE

Primeiro, o entrevistador questiona a cantora qual Destiny’s Child ela seria. “Não posso decidir!”, exaltou ela. Depois, porém, explicou, que Beyoncé realmente é a sua preferida, seguindo inclusive dois fã-clubes dela no Instagram. Apesar disso, Normani diz que acha que se parece mais com Kelly Rowland.

“Me vejo em Kelly. Ela está destruindo para garotas negras. Ela se carrega graciosamente e ‘Motivation’, garota, aquilo é uma obra-prima”.

Sobre o Fifth Harmony, a americana falou sobre as supostas rixas que se criaram entre as meninas na internet, principalmente no decorrer do último ano, quando elas decidiram entrar em hiatus para focar em carreiras solo. Camila Cabello também foi citada.

“Honestamente? Estou em um ótimo momento e não alimento nada disso. Sou muito abençoada para me focar nisso. Esse é meu momento, assim como Camila teve uma trajetória maravilhosa. Estou muito orgulhosa de tudo que ela está fazendo. Ela está indicada ao Grammy! Tipo, isso é maravilhoso. E todas nós somos de que grupo? Fifth Harmony. E eu sei que todas somos mais do que capazes de fazer isso. Eu passei a acreditar que sou mesmo talentosa. Antes, eu sinceramente não acreditava nisso”.

Normani photographed on Dec. 13, 2018, at Pontchartrain Hotel in New Orleans. Styling by Eric McNeal. Normani wears an Asai turtleneck and American Apparel bodysuit. 

ISSUE 1 2019 - DO NOT USE!!!! - OUT JAN. 10, 2019

Mani também ressaltou que é muito mais complicado agora que ela está sozinha.

“É tipo, ‘Hey, também estou aqui, e eu sou muito boa no que faço. Eu só trabalho duro. Sinto que tenho que trabalhar 10 vezes mais duro para provar para alguém que mereço estar aqui'”.

A artista diz que, escrevendo um álbum solo, ela poderá dar voz à pessoas de um jeito que ela nunca pode em sua carreira.

“Há tanto que tenho que tirar do meu peito. E há uma responsabilidade que eu tenho como uma mulher negra, uma das poucas a ter poder para arrasar. Até no mainstream, não há muitas de nós. Especialmente garotas chocolate. Tipo, ser afro-americane é uma coisa, mas garotas com minha complexão. Nunca ouvi falar. Além de mim, e SZA. Quem mais?”.

Ela também falou sobre seus sonhos nessa nova etapa de sua carreira.

“Eu me vejo cantando no Grammy, viajando o mundo com minha família. Eu quero encontrar todos meus fãs ao redor do mundo. Ainda há muitos lugares que preciso ir. É tipo ‘uau, tenho fãs lá. As pessoas sabem quem é Normani?’. Eu quero ter uma linha de roupas. Com esperanças, um perfume. Também quero fazer filmes e atuar. Essa é uma vitória na minha mente. Eu quero abrir escolas de dança. Eu não quero ser passageira. Quero ser a tal. Mas durante isso tudo quero ter certeza de me lembrar quem é Normani”.

Brandon Silverstein, empresário de Normani, deu detalhes sobre o disco.

“Normani não é moldada em um gênero, é sobre o que Normani ama”.

Ele descreve o álbum como “abafado” e “dominante”. Daniel Caesar e Missy Elliott estão praticamente confirmados no trabalho, que ainda não está pronto, e deverá ser lançado somente no segundo semestre. Victoria Monet e Tayla Parx, co-compositoras de “thank u, next” de Ariana Grande, são colaboradoras assíduas do registro.

ISSUE 1 2019 - DO NOT USE!!!! - OUT JAN. 10, 2019

Mais tarde, Normani lança mais uma novidade. “Dancing With a Stranger” é uma colaboração com Sam Smith que deverá entrar para o disco. A canção é uma grande aposta, principalmente na Europa, onde Sam sempre consegue um desempenho formidável.

http://5jc.0a9.myftpupload.com/ally-brooke-dinah-jane-lauren-jauregui-e-normani-disputam-juntas-o-premio-de-revelacao-solo-no-iheart-music-awards/