Pabllo Vittar tira dúvidas sobre sua identidade de gênero em nova entrevista e confirma gravação de clipes para "K.O." e "Indestrutível" do novo álbum

Um dos nomes mais potentes quando falamos de artistas LGBTQ’s no Brasil nos últimos anos, Pabllo Vittar acaba de lançar seu primeiro álbum de estúdio, o “Vai Passar Mal”, que foi trabalhado junto de renomados profissionais como Hayashi, Rezende e Gorky, e ainda tem uma faixa com produção de Diplo“Então Vai”.

Na promoção do trabalho, a drag queen deu uma entrevista para o jornal O Globo e resolveu esclarecer algumas dúvidas do público, incluindo sobre sua identidade de gênero. Muitos a questionaram e ainda questionam se seria transsexual pelo seu estilo que vai além da montação. Mas Pabllo deixou bem claro: é um homem gay andrógino, que só “se sente mulher” quando incorpora seu personagem artístico.

// stargirl ✨

Uma foto publicada por Pabllo Vittar ? (@pabllovittar) em

“Nunca precisei me assumir, sempre fui assim. Quando tinha 15 anos, falei para a minha mãe que era gay. E ela: ‘Ai, novidade…’. No fundo, sempre fui essa Pabllo que todo mundo conhece — conta ela, que sempre se surpreende quando alguém pergunta se não poderia, um dia, tornar-se transsexual. — Sou gay, amo meu corpo, não tenho problema com minha identidade de gênero e sou feliz do jeito que sou. Só me sinto mulher quando estou montada!”

Antes de explodir com “Open Bar”, as coisas não foram nada fáceis, e no bate-papo, ela também contou como era sua vida, com o sonho de ser uma estrela através de seu talento vocal e estético:

“Fui para tentar carreira como cantora, mas acabei trabalhando nos Habib’s da vida e em um salão, maquiando e fazendo cabelo. Só fui embora da lanchonete porque uma vez eu e uma amiga estávamos brincando com o extintor, com umas botas vermelhas de verniz, e a coisa não deu muito certo — recorda-se. — Depois disso, fui para Uberlândia, onde a minha mãe estava morando.”

Na mesma entrevista, foi confirmado que as canções “K.O” e “Indestrutível” ganharão videoclipes, provavelmente deverão ser singles. A segunda é uma balada poderosa que fecha o álbum e fala sobre vencer desafios e nunca desistir do que acredita.

“Vai Passar Mal” está em todas as plataformas digitais, incluindo o YouTube, ouça: