Pabllo Vittar é a personificação da comunidade LGBTQ+ em artes pelo mundo; veja

Nossa diva Pabllo Vittar está cada vez mais maravilhosa no Brasil e mundo a fora. Nisso, devido ao seu nome estar em grandes tabloides internacionais, resolvemos fazer um compilado de artes lindas feitas por diversos fãs e apreciadores de seu trabalho onde a classificam como uma personificação real – ou uma heroína – da população LGBTQ+ no Brasil, mostrando que somos sim um país da diversidade.

Confira:

pabllo vittar é a personificação da população lgbtq em artes pelo mundo 2– CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR

Na imagem ao lado, Pabllo faz uma participação na revista em quadrinhos onde o personagem Velox é um super-herói gay que defende as minorias e quer se tornar um ícone da diversidade nacional.

As ilustrações da revista ão de Marcio Abrey, o roteiro criado por Gian Danton e a colorização de Vinícius Townsend.

View this post on Instagram

Tire seu preconceito do caminho que eu quero passar com nosso amor. Sob regime homofóbico e no mês da Parada do Orgulho LGBT de SP, a edição de junho do Le Monde Diplomatique Brasil já está no ar! Confira: • Renan Quinalha, professor de Direito da Unifesp, faz uma análise da conjuntura dos direitos LGBT no governo Bolsonaro, apontando retrocessos, riscos, mas também perspectivas de avanços em outras áreas, como na Justiça e na própria sociedade. • Maju Giorgi, da ONG Mães pela Diversidade, conta sobre o trabalho que reúne mais de 2 mil pais de pessoas LGBTQIA+ para enfrentar a violência cotidiana praticada contra seus filhos. • Finalmente, Symmy Larrat, presidenTRA da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos (ABGLT), escreve sobre a resistência contra a política de morte bolsonarista e celebra a decisão do STF, que já formou maioria para estabelecer a criminalização da LGBTfobia. E muito mais: • O renascimento do socialismo nos Estados Unidos: por que hoje? • Com Matteo Salvini, a Liga Norte deixou de lado os italianos do sul e escolheu os imigrantes como inimigos principais. • Em entrevista direto de Caracas, o jornalista Jon Lee Anderson relata a conjuntura na Venezuela: Maduro não é um ditador, mas país não vive mais uma democracia. Entenda por quê. • Enquanto o ministro Sergio Moro encampa projeto para ampliar as previsões do que seria a legítima defesa nos casos de ação policial e/ou militar letal, quinto artigo da série Estado de Choque esmiúça os episódios de mortes provocadas pelas forças de segurança de pessoas que portavam um guarda-chuva, uma furadeira, um macaco hidráulico ou que tiveram um canguru de carregar bebês confundido com um colete à prova de balas. • A educação resiste: o relato da vivência na universidade pública de quem não é um idiota útil. • A chama da Primavera Árabe voltou ser acesa? Movimentos populares que se opõem aos regimes da Argélia e do Sudão contrastam com a regressão contrarrevolucionária que atravessa o mundo árabe. • A política para impedir o movimento de imigrantes destruiu a economia local da cidade de Agadèz, jogando milhares de pessoas na cadeia e na extrema pobreza.

A post shared by Le Monde Diplomatique Brasil (@diplomatiquebrasil) on

Por fim, vale ressaltar que em breve Pabllo estará dando o pontapé inicial em seu terceiro projeto em estúdio intitulado “111”, que sucede o disco repleto de hits “Não Para Não”, lançado no ano passado. A faixa que será a peça inicial da nova fase da cantora se chama “Flash Pose”, sendo uma parceria com a cantora norte-americana Chali XCX.

Pabllo Vittar revela mais detalhes de "Flash Pose" feat. Chali XCX, primeiro single do "111"