Nicki Minaj vence processo que estava sendo acusada de violar os direitos autorais; confira

Uma juizá decretou uma vitória significativa para Nicki Minaj na última quarta-feira, dia 16 de setembro. A cantora estava sendo acusada de violar os direitos autorais quando criou “Sorry”, música baseada em “Baby Can I Hold You”, de Tracy Chapman.

A vitória é significativa para todos os artistas, pois a decisão protege a prática de desenvolver uma nova música com base em uma material já existente, com autorização do artista original. A decisão foi decretada pela juíza distrital dos Estados Unidos, Virginia A. Phillips, pois “uma decisão que desenraizaria essas práticas comuns limitaria a criatividade e sufocaria a inovação na indústria musical”, afirma a juíza.

Os advogados de Minaj afirmam que os artistas precisam ser livres para criar algo baseado em um material existente, pedindo autorização para os detentores dos direitos. Assim, eles não precisariam se preocupar em ser processados.

Para quem não lembra, Nicki Minaj criou a música “Sorry” junto com Nasir Bin Olu, em 2017. Na época, a cantora acreditava que era um remake de uma música de Shelly Thunder, porém ela descobriu que alguns trechos eram de “Baby Can I Hold You” de Chapman. A rapper pediu permissão para utilizar a música, mas foi negado. Com isso, “Sorry” foi retirada do álbum “Queen” de 2018.

A disputa judicial de Minaj ainda vai para o júri. Uma cópia da música “Sorry” foi enviada para o DJ Flex, que tocou no ar em uma rádio de Nova Iorque. Chapman acusa a cantora de ter fornecido a música para o Flex, porém ambos negaram.