"Não precisamos de garotas como Taylor Swift, e sim de heróis", diz Brooke Candy sobre polêmica envolvendo seu nome e a cantora

No final do ano passado, Taylor Swift lançou o álbum “reputation”, uma reposta para a mídia e milhões de haters acumulados em todos esses anos através de polêmicas com seu nome.

http://5jc.0a9.myftpupload.com/taylor-swift-aproveita-noite-em-todo-o-mundo-no-clipe-de-end-game-com-ed-sheeran-e-future/

Com o registro “Look What You Made Me Do” abriu oficialmente os trabalhos do material em questão, e foi amada por fãs e mais odiada ainda por pessoas que não simpatizam muito com o discurso neutro da cantora em não assumir responsabilidades políticas ou usar sua voz para assuntos mais, digamos, sérios. Uma dessas é Brooke Candy, que depois de publicar um vídeo gesticulando vômito em suas redes sociais ao ouvir a faixa em uma boate, logo foi até ameaçada de morte por fãs de Taylor depois da repercussão na internet do ocorrido.

https://www.facebook.com/portalfamososbrasil/videos/1502759946467849/

Vindo ao Brasil em fevereiro para um show único em São Paulo, a rapper concedeu uma entrevista exclusiva a Billboard Brasil, e nela, falou um pouco sobre o ocorrido e porque não simpatiza muito com a intérprete de “Getaway Car”.

http://5jc.0a9.myftpupload.com/apos-brooke-candy-fazer-video-reagindo-negativamente-faixa-de-taylor-swift-fas-da-cantora-nao-perdoam-rapper-nas-redes-sociais/

“Foi algo que eu fiz brincando no meu Instagram. Mas a verdade é que ela é totalmente problemática e faz parte da máquina. O que ela faz é opressão. A artista pop da direita, na minha opinião. Não conheço ela pessoalmente, ela pode ser uma querida, mas os fãs dela mandam os outros se matarem. Foi o que fizeram comigo quando publiquei isso no meu Instagram. Meus fãs me defenderam com palavras de amor. Ela não disse absolutamente nada sobre essa violência deles. Ela tem uma voz. Essa questão foi a representação perfeita entre o mainstream e o underground e o que cada um representa. Não precisamos mais disso. Não precisamos de mais garotas como ela. Precisamos de hérois, não de ídolos.”

Falando sobre empoderamento feminino:

“As mulheres vão acabar com todos esses ideais jurássicos e isso é lindo. A opressão acontece agora contra os fortes porque os opressores sentem medo. Finalmente estamos conquistando nosso poder. De coração, eu quero fazer parte da mudança. Foi o que fiz quando a Sony tentou me silenciar porque eu era uma mulher que “sabia demais”

Suas letras e críticas a sua sensualidade em clipes:

“Sexo é o motivo pelo qual todos nós estamos aqui. Fomos criados do sexo. É um momento de conexão. É natural. Somos animais e todos nós sentimos essa vontade. Queria lançar algo para empoderar mulheres. Já fui chamada de vadia. Tenho muitas músicas exaltando isso, usando a palavra como um emblema. Assim como em A Letra Escarlate, no sentido de “quer me chamar de vadia? Sem problemas”, sabe? Tirar o poder da palavra. Eu deveria poder ser um ser sexual e não ser sexualizada pela roupa que estou usando. É difícil para mim entender como isso funciona, eu amo ficar nua, amo o meu corpo.”

Para ler a entrevista completa, clique aqui.