Lollapalooza, Billie Eilish, Louis Tomlinson? Infectologista fala sobre possibilidade de cancelamentos devido ao Coronavírus

Nas últimas semanas, os internautas vem ficando cada vez mais preocupados não só com a saúde, mas também com a possibilidade de cancelamentos de espetáculos que incluam grandes aglomerações, exemplos como jogos de futebol e espetáculos de escala internacional e o Brasil se tornou rota de pelo menos dezenas de shows internacionais nos próximos meses.

A BBC News entrevistou o infectologista Marcos Boulos, do Departamento de Moléstias Infecciosas e Parasitárias da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), para que algumas dúvidas referente à doença que já acomete mais de 120 mil pessoas e matou outras quatro mil ao redor do mundo. O Brasil já conta com 52 casos confirmados.

Em entrevista, a BBC News questionou o infectologista a possibilidade de o governo brasileiro e o Presidente Jair Bolsonaro intervir e até vetar grandes espetáculos e aglomerações em nosso país.

Boulos – Poderia fazer isso mesmo antes do anúncio, como já foi feito na Itália e na França, onde jogos do campeonato francês não terão torcida. Times como o Paris Saint-Germain, de Neymar, vão jogar com portões fechados.

Aqui no Brasil, vamos ter o Lollapalooza (de 5 a 7 de abril) e o governo pode evitar, caso queira. Caso faça isso, ele pode ser acionado na Justiça pela empresa responsável, que pode argumentar que todos os ingressos já foram vendidos. O governo também pode apenas fazer recomendações para o público evitar qualquer reunião que tenha mais de 50 pessoas.

O Lollapalooza acontece nos dias 2,3 e 4 de abril, Louis Tomlinsom desembarca por aqui nos dias 9 e 10 de maio, enquanto Billie Eilish toca no Brasil nos dias 30 e 31 de maio, passando por São Paulo e Rio de Janeiro, consecutivamente. Devido a mesma pandemia, o Coachella 2020 que contaria com presenças de Anitta e Pabllo Vittar, foi adiado para novembro.

Vale lembrar que o novo coronavírus pode ser transmitido através de espirros, saliva e apertos de mão. É altamente recomendável manter locais fechados sempre ventilados, evitar aglomerações em caso da doença e higienizar frequentemente as mãos.