Livinho revela que vai processar modelo que o acusou de racismo

Na última terça-feira (2,) MC Livinho participou do movimento #BlackoutTuesday (terça-feira de apagão, em inglês), como forma de protesto à brutalidade policial na abordagem à comunidade negra. Porém a modelo e bailarina  Raielli Leon veio a público e criticou a hipocrisia por parte do cantor e sua equipe, ao relatar atos racistas sofridos durante a gravação de um clipe do cantor, em 2017.

O cantor já tinha se manifestado online e dito que a situação já teria sido resolvida entre os dois. Sua fala revoltou a internet. Na noite de ontem (3), ele voltou a se pronunciar, através de seu Instagram.

O funkeiro se desculpou pelas atitudes, e ressaltou, novamente, que a situação já teria se resolvido entre os dois. Livinho ainda diz que a suposta “brincadeira” de esconder objetos no cabelo da modelo, teria sido inspirada no filme “Todo Mundo em Pânico”: “Não tem nada de racista nisso, não foi a intenção, só que ela ficou brava e começou a se fechar”.

Ao final, o cantor revela que está “em paz”, e que deixará isso nas mãos “de Deus e do juíz, que vai resolver essa acusação de calúnia”.

Assista: