"LEMONADE" da Beyoncé foi uma das salvações do TIDAL, serviço de streaming de Jay-Z

Depois de um ano do lançamento oficial do serviço de streaming TIDAL de Jay-Z, pouca coisa mudou. O aplicativo que prometia ser a revolução da forma como se ouve música acabou engolido por outros serviços como Spotify e Apple Music, mesmo o último sendo lançado meses depois da plataforma do magnata. Só que, de forma estratégica, alguns pontos estão sendo avaliados como positivos para a empresa.

Uma das ideias que vem salvando o TIDAL são os lançamentos exclusivos de grandes artistas do mercado. Rihanna (ANTI), Kanye West (The Life Of Pablo) e Beyoncé (LEMONADE) trouxeram milhões de usuários para o serviço, fazendo assim com que ele ainda seja relevante em meio a grande concorrência.

E agora, segundo dados apurados pelo The New York Times, o lançamento do último álbum de Beyoncé deu números satisfatórios. 1,2 milhão de novos usuários foram conquistados graças do disco, que foi disponibilizado de forma exclusiva por 24 horas no aplicativo. O número varia entre inscritos e pessoas que ainda utilizam a fase de teste. Em meados de março a TIDAL emitiu um relatório afirmando que o número de usuários eram de 3 milhões.

“LEMONADE” foi ouvido 306 milhões de vezes em todo o mundo, número um pouco maior que o do “The Life Of Pablo” de Kanye West, que teve 250 milhões durante o período exclusivo no próprio TIDAL. A parte visual do álbum de Bey foi vista 11 milhões de vezes na parte de clipes.

No quesito vendas, o álbum também vai muito bem. Já foram vendidas mais de um milhão de cópias em todo o planeta, boa parte delas nos Estados Unidos, em apenas duas semanas. Beyoncé atingiu o topo da parada norte-americana no período de lançamento e só perdeu o posto devido ao “VIEWS”, álbum de Drake.