Lana Del Rey é acusada de incentivar seus fãs a usarem drogas e cometerem suicídio em "Freak"

Na madrugada desta quarta (10) Lana Del Rey divulgou na íntegra seu curta-metragem para a faixa Freak.

No clipe da faixa, que faz parte do disco Honeymoon, ela interpreta uma hippie californiana e contracena ao lado de um padre extraviado. Juntos, eles se drogam e adentram um universo alternativo de prazeres comandado pelas mesmas meninas que fizeram companhia a Lana em Music to Watch Boys To.

priest

Cena de “Freak”, em que Lana e outras meninas se encontram drogadas e submissas à figura masculina

Parecia algo bastante inocente, e até esperado de Lana, até Mark Dice, comentarista do YouTube, criticar a americana abertamente por fazer referências a simbolismos perigosos e considerados de “mal-gosto”.

Lana foi acusada de fazer referências a Charles Manson, líder de um dos maiores cultos assassinos do século passado

Segundo ele, Freak é perigoso para jovens fãs assistirem por ser um tributo a Charles Manson e Jim Jones, dois líderes de cultos extremistas norte-americanos responsáveis pelas mortes de centenas no século XX, causadas por suas doutrinas anti-éticas. Charles, inclusive, é bastante parecido com o ator escolhido para o clipe.

Lana ainda não respondeu às acusações, mas o posicionamento de Dice vem ganhando forma.

Assista ao vídeo problematizador abaixo: