Kaya Conky se surpreende com público infantil em show e inventa, de última hora, versões censuradas de suas músicas

A drag queen Kaya Conky está se destacando no cenário LGBT como uma das principais drags cantoras do Brasil. Já com alguns hits na bagagem, como “E Aí Bebê” (um dos clipes de drag mais vistos mundialmente), “Quebradinha” e “Marmita“, Kaya tem levado a turnê do EP “Sabe Que Vai, Pt. II” para todo o Brasil.

http://5jc.0a9.myftpupload.com/kaya-conky-e-pepita-seduzem-homem-casado-no-clipe-de-marmita-assista/

Ontem (26), Kaya, ao lado de Lia ClarkPepita, fez um show beneficente na Casa 1. A Casa 1 é um abrigo de acolhimento de LGBTs que, por algum motivo – geralmente, discriminação e não-aceitação da família – foram expulsos de casa. O evento teve como objetivo comemorar a resistência da Casa 1, que por motivos financeiros quase fechou.

O que Kaya não esperava era a presença de crianças no evento – o show era livre para todos os públicos e, para completar, a entrada era franca. Com letras de funk proibidão, Kaya inventou, de última hora, versões clean para suas músicas.

Quem Te Usou Fui Eu“, por exemplo, que conta com o verso “tua pica foi só mais uma que o meu rabo comeu”, virou “tua boca foi só mais uma que a minha língua lambeu”. Na hora de “Cadê o Loló“, que fala sobre o uso recreativo de lança-perfume, Kaya disse à plateia: “É loló, o chocolate”.

Confira os stories hilários postados por ela:

https://twitter.com/berrrnini/status/1133086415804354565

https://twitter.com/berrrnini/status/1133086722475143168

https://twitter.com/berrrnini/status/1133086862422286339

Depois do show, Kaya aproveitou para tirar foto e abraçar algumas crianças que a aguardavam. O que achou da atitude da queen?

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<