Katy Perry diz que performance ao vivo é o seu ponto fraco e afirma: "ninguém pode ser como Beyoncé"

Bem-sucedida, milhões de singles e discos vendidos e…32 anos. Katy Perry deixou de ser a garotinha que ficava nua em nuvens de algodão doce ou que beijava uma garota por diversão em uma festinha estilo adolescente para amadurecer e tratar de assuntos mais sérios em suas canções.

E não é isso.

Chegando na casa dos 30, ela também admite que suas apresentações ao vivo não são mais como antes, respeitando seus limites e também a forma como trabalha a cada fase de sua vida artística.

Katy Perry e Ed Sheeran nos estúdios da BBC Radio 1 na entrevista para Nick Grimshaw. Foto: BBC/reprodução.

 

Em entrevista para o programa de rádio Nick Grimshaw, ela falou sobre como suas performances mudaram desde que chegou aos 32, e afirma que Beyoncé é a única artista viva que pode passar por décadas com o mesmo “gás” em suas apresentações ao vivo.

“Tenho 32 anos agora. E eu amo estar nessa idade, porque você apenas deixa as coisas acontecerem e para de ligar para o que as pessoas pensam”, afirmou. “Eu simplesmente ‘tiro meus sapatos’, relaxo e tiro as ‘pedras’ que estavam dentro do calçado. As minhas apresentações de TV são tipo o calcanhar de Aquiles para mim (ponto fraco), obviamente porque quando estou cantando vejo pessoas que admiro na plateia, e eu nunca serei como Beyoncé, estou bem abaixo dela”, completa.

Resultado de imagem para beyonce grammy 2017 performance

Beyoncé se apresentando no Grammy Awards 2017. Foto: reprodução/internet.

“Esse é o meu jeito, e amo ser assim, mas claro que Beyoncé é muito melhor que qualquer outra pessoa desse meio artístico, por isso é bem difícil se apresentar às vezes com toda essa pressão”, termina.

Assista a apresentação de Katy no BRIT Awards, que aconteceu na semana passada com “Chained To The Rhythm” abaixo:

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<