Justin Bieber "fake" é indiciado por pedofilia na Austrália

A internet ajudou a aproximar as pessoas do mundo. No entanto, nem todos têm boas intenções. E agora apresentamos um caso sério. Um homem australiano de 42 anos que se passou pela estrela do pop Justin Bieber foi indiciado nesta quinta-feira (9) por enganar jovens fãs do cantor, para que lhe enviassem fotografias sexualmente explícitas, indicou a polícia. O indivíduo usava plataformas como Facebook e Skype para se passar pelo cantor canadense e seduzir menores de 16 anos.

Gordon Douglas Chalmers foi detido em novembro suspeito de ter cometido  931 crimes de pedofilia depois que as autoridades de Alemanha e Estados Unidos alertaram seus colegas do estado australiano de Queensland, segundo a agência AAP.

“Após uma análise minuciosa do computador do indivíduo, [ele] foi indiciado por outros 931 crimes de caráter sexual com crianças, junto com processos por estupro, atentado ao pudor e uso de uma plataforma de comunicação on-line para transmitir material pornográfico. Esta investigação demonstra a vulnerabilidade dos jovens diante de abusadores infantis que usam as redes sociais e os aplicativos de comunicação de alcance global para seduzir suas vítimas. O fato de uma quantidade tão importante de jovens terem acreditado que estavam se comunicando com esta celebridade destaca a necessidade de repensar a forma como educamos nossos filhos em termos de segurança na Internet”, relatou o inspetor Jon Rouse.

Justin Bieber é seguido por milhões de fãs em todo o mundo, que se identificam como “Beliebers”. Jon Rouse descreveu a natureza dos delitos como “horrorosas” e recomendou os fãs que sejam cautelosos quando utilizarem a Internet.

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<