Jason Momoa entra com processo contra brasileiro; entenda a treta

O polêmico e manipulado vídeo que sugere que Jason Momoa estaria assediando sexualmente sua filha continua chamando a atenção e gerando constrangimento na internet.

Alguns usuários do Twitter editaram um vídeo do ator junto de seus filhos durante a premiére de “Aquaman” no Havaí para dar a impressão de que ele estava assediando sua própria filha! Rapidamente o vídeo foi repostado pelos internautas que, em plena era das fake news, não souberam checar as informações antes de acusar o ator de um crime tão sério.

Os comentários denunciavam que Momoa estava apalpando os seios de sua filha, além de insultá-lo com diversos xingamentos. Alguns usuários chegaram a dizer que, em determinado ponto da gravação, a jovem retira a mão do pai de seu corpo por se sentir violada, mas não foi nada disso que aconteceu.

Ao analisar o vídeo completo com cuidado, fica nítido que o ator estava num momento de emoção com os filhos, abraçando-os com carinho. Visivelmente sensibilizado com a apresentação, ele faz movimentos involuntários enquanto apoia os braços sobre os ombros dos dois filhos.

Aliás, o momento em questão onde a jovem retira o braço do pai de cima de seu ombro, se deu apenas pois a garota queria falar alguma coisa no ouvido do ator, que depois de escutá-la, volta a repousar a mão no ombro da filha, enquanto ela continua abraçada com ele e segura sua mão.

Confira:

Segundo uma internauta brasileira, membro do Fã Clube Oficial do Jason Momoa no país, a assessoria do intérprete de “Aquaman” já está em contato com o grupo de fãs, que auxiliaram a desmentir a fake news.

Indo mais além, ela afirmou que a equipe já tomou todas as medidas judiciais cabíveis para punir o(s) criminoso(s) e garantir que o vídeo adulterado seja terminantemente retirado das redes sociais.

É importante lembrar que assédio infantil é crime, e deve ser denunciado sempre, porém injúria e difamação também são crimes e podem gerar consequências irreversíveis na vida de uma pessoa.

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<