Hayley Williams fala sobre o sexismo na indústria: “sou uma líder tirana somente por ser uma mulher?”

A cantora Hayley Williams, ex-vocalista da banda Paramore, teve uma conversa publicada pela Vulture nesta quarta-feira (6) e comentou sobre as constantes críticas presentes na indústria musical.

Os comentários de Josh Farro quando ele e seu irmão saíram do Paramore em 2010 geram uma narrativa que você era uma líder tirana que não conseguia trabalhar com ninguém. Hoje podemos interpretar isso como sexismo.

“Obrigada por dizer isso. Eu acho interessante que bandas que tanto amamos também mudaram seus integrantes – e até bandas que não mudaram – foram todas honestas sobre o quanto eles odiavam uns aos outros, e nunca questionaram a lealdade deles. Nunca pensaram ‘Ah, Thom Yorke deve ser a p*rra do Hitler do Radiohead’. Ele pode ser um babaca. Me pergunto se é simplesmente por eu ser uma mulher. Eu poderia ter um p*u e a história não teria nenhuma comoção. Por muito tempo eu fiquei chateada. Atualmente eu olho para trás e acredito que precisávamos de que tudo isso acontecesse. Infecções precisavam ser arrancadas. Precisávamos derramar sangue”, respondeu Hayley ao site.

A cantora tomou a decisão de seguir carreira solo em 2018, após uma turnê da banda, que durante sua trajetória sofreu diversas alterações de integrantes. Assumindo passar por uma depressão profunda, Hayley começou a escrever seu álbum solo, o “Petals for Armor”, lançado em três partes diferentes que são completadas no dia 8 de maio.