Há cinco anos, Sia se revelava para o mundo com o álbum "1000 Forms of Fear"

Com anos e anos de uma carreira consolidada na Austrália, Sia só foi ser conhecida a nível mundial após “Titanium”, grande sucesso de David Guetta com os vocais dela, lançado em 2011.

Dois anos e meio depois, a cantora lançou seu sexto álbum de estúdio, “1000 Forms of Fear”, e ganhou uma legião de fãs por todo o globo. Afinal, o disco tem como carro-chefe a icônica “Chandelier”, que atingiu o top 10 da Billboard Hot 100 e recebeu quatro indicações ao Grammy.

Falando agora do álbum em si, o “1000 Forms of Fear” se tornou o primeiro trabalho da artista a atingir o topo da Billboard 200, porém com um número bem baixo, 52 mil cópias. Com média 76 no Metacritic, o disco também foi muito aclamado pela crítica especializada. Ele ainda conseguiu um certificado de ouro nos Estados Unidos.

Além de “Chandelier”, foram mais quatro singles lançados, todos de sucesso: “Big Girls Cry”, “Elastic Heart” e “Fire Meet Gasoline”. O disco já conta com quase 1 bilhão de streams no Spotify e está atrás apenas do “This Is Acting”, de 2016.

Atualmente, Sia está no meio de uma polêmica. Ela apoiou o empresário Scooter Braun na briga contra Taylor Swift e está enfrentando o ódio dos fãs da americana, que até desenterraram um vídeo de uma apresentação polêmica do passado.

http://5jc.0a9.myftpupload.com/swifties-desenterram-suposto-blackface-de-sia-em-show-e-cantora-se-explica/