Há 6 anos, Lady Gaga lançava o controverso álbum "Artpop"; relembre

Há exatos seis anos, no dia 06 de novembro de 2013, Lady Gaga lançava aquele que seria seu disco mais controverso, “Artpop”. Carregado de grandes expectativas – em parte criadas pela própria cantora – o álbum, na época, acabou sendo considerado um fracasso para a discografia da artista, que vinha das eras “The Fame Monster” e “Born This Way”, que causaram grande impacto na cultura pop.

O pontapé inicial fora dado alguns meses antes, com o lançamento do single “Applause”. As turbulências da era já começaram por aí. Anunciado, inicialmente, para o dia 19, a faixa teve sua divulgação antecipada devido à ameaça de vazamento, numa manobra chamada pela cantora de “emergência pop”.

O disco contava com quinze faixas, algumas com sonoridades experimentais, outras causaram estranhamento nos ouvintes, por divergirem do que a artista fizera anteriormente. Isso se refletiu nas críticas recebidas no lançamento, que foram mistas. Enquanto alguns aclamavam o trabalho, outros destacavam que aquela não era a cantora que eles conheceram nos anos anteriores.

    Apesar da recepção morna, o disco conquistou o primeiro lugar na Billboard 200 em sua semana de lançamento, tendo vendido mais de 250 mil cópias. Dando continuidade à divulgação, “Do What You Want”, foi trabalhado como segundo single, devido à sua popularidade natural. Aí vieram novas polêmicas. R. Kelly, que participava da faixa, estava envolvido em escândalos sexuais. A gravação do videoclipe, com o também controverso diretor Terry Richardson, também não ajudou, visto que algumas cenas descritas eram perturbadoras quando analisado o contexto. Depois da recepção negativa, o vídeo nunca viu a luz do dia, tendo sido engavetado permanentemente. A música foi relançada em um remix com Christina Aguilera, tendo sido performado no The Voice norte-americano. o sucesso foi uma fração do original, e não foi o suficiente para reacender o interesse do público.

    Como forma de encerrar a era, Gaga escolheu “G.U.Y.” como terceira música de trabalho, e lançou um videoclipe que incluía, também, as faixas “Venus” e “Artpop”. o mini-filme foi um grande investimento, e agradou aos fãs da cantora, mas o retorno não foi tão satisfatório quanto o esperado.

    O álbum vendeu mais de três milhões de cópias mundialmente, e recebeu certificado de Platina nos Estado Unidos, por mais de uma milhão de cópias comercializadas. A recepção do trabalho foi crucial para os passos que vieram a seguir na carreira da cantora, que precisou fazer uma verdadeira limpeza de imagem antes de poder voltar ao gosto do público.