Há 5 anos, Taylor Swift atingia novo patamar em sua carreira com o lançamento do álbum "1989"

O quinto álbum em estúdio de Taylor Swift foi um verdadeiro divisor de águas. Após mostrar interesse no pop, a norte-americana nos entregou “Red”, álbum que mostra claramente essa transação de estilos musicais. Dois anos depois, a cantora nos entrega o “1989”. Ansiosos para relembrar a era?

Quebrando paradigmas e ainda assinado pela Big Machine Records, todo a trajetória do disco foi marcada por polêmicas, inclusive em seu lançamento, que não foi disponibilizado nas plataformas de streaming (Spotify, Apple Music, Deezer…) porque na época a jovem brigava contra o preço que esses serviços pagavam aos artistas. O lançamento da produção ao público ocorreu oficialmente em 27 de outubro de 2014.

“A música está mudando rapidamente e o cenário da indústria musical também. Tudo é muito novo, como o Spotify, e eu acho que ele é um grande experimento. Não estou disposta a compartilhar minha vida de trabalho em um experimento que não recompensa justamente compositores, produtores, artistas e criadores dessa música. Não pareceu certo para mim. Me senti como se dissesse aos meus fãs: se você criar uma música ou uma pintura, qualquer um pode entrar em um museu, tirar esta pintura da parede, arrancar um pedaço e sem pagar por isso.”

Produzido durante a “Red Tour”, Taylor Swift selecionou uma equipe de peso para entregar um trabalho que mudaria o selo de sua carreira: Max Martin, Shellback, Jack Antonoff, Greg Kurstin e Ryan Tedder são alguns dos nomes. Publicamente viciada nas fotos em estilo “Polaroid”, a capa do disco traz a diva em uma e o nome do trabalho refere-se ao seu ano de nascimento.

Em geral, o quinto álbum em estúdio da musa foi bem recebido pela critica especializada. Com sete singles trabalhados, sendo eles “Shake It Off”, “Blank Space”, “Style”, “Bad Blood”, “Wildest Dreams”, “Out of the Woods” e “New Romantics”, ganhou nota 76/100 pelo Metacritic.

Com o título de terceiro álbum mais vendido no ano de 2014, com apenas 2 meses de lançamento, Taylor Swift provava que era um monstro nas vendas: #1 na Billboard 200, que mostra os álbuns mais vendidos semanalmente, #1 Austrália, Canadá e Reino Unido. A superprodução vendeu cerca de 1 milhão de unidades somente em seu país de origem, os Estados Unidos, em apenas uma semana.

Ainda na Billboard 200, o disco da diva ficou por cerca de 253 semanas na plataforma. Os singles “Shake It Off”, “Blank Space” e “Bad Blood” atingiram o primeiro lugar da Billboard Hot 100.

Em 2015, era hora de colher os frutos de um trabalho impecável. No Grammy daquele ano, a estatueta de maior importância foi dada a cantora, o “Álbum do Ano”. Além disso, a norte-americana ainda levou pra casa o prêmio de “Melhor Vídeo”, pela icônica produção em “Bad Blood”.

Para este trabalho, Taylor adotou um novo método de divulgar música, que foi usado por muitas cantores desde então. Ao invés de selecionar apenas um programa e fazer uma super performance nele, a intérprete de “Wildest Dreams” inverteu o jogo: Swift esteve em todos os programas televisivos e de rádio que pudesse estar, dominando a TV mundial para a divulgação do disco.

E aí, qual o seu álbum preferido da Taylor Swift? “1989”, “reputation” ou “Lover”? Continue a conversa nas redes sociais do Portal Famosos Brasil, estamos te esperando por lá!