Gravadora demite Lily Allen devido a baixa vendagem de seus últimos álbuns

Segundo a mídia especializada do Reino Unido, a gravadora Parlophone teria optado por rescindir o contrato com Lily Allen. O motivo seria a baixa vendagem de dois últimos trabalhos de estúdio, os álbuns “Sheezus”, lançado em 2014 e seu disco mais recente, o “No Shame”, de 2018. Este último recebeu grande aclamação crítica, sendo considerado, muitas vezes, um dos melhores álbuns do ano passado.

Mas a aclamação crítica e dos fãs no foi suficiente para alavancar a vendagem do trabalho, que viu seus singles passarem longe das paradas. Recentemente, Allen também foi demitida da sua agência de gerenciamento de carreira, pelos mesmos motivos. Agora, o futuro da cantora é incerto, e seu próximo trabalho pode demorar alguns longos anos para ver a luz do dia.

Debochada, como de costume, a cantora soltou uma indireta para o jornal The Sun, que noticiou a sua demissão falando das baixas vendas do “No Shame”.

“Eu não acho que o sol [The Sun] brilha na minha bunda ou algo assim, mas o “No Shame” foi muito bem”