Filme que critica a "cura gay" tem lançamento cancelado e pode ter sido censurado no Brasil

Entre as estreias mais aguardadas do ano teríamos “Boy Erased”, longa que ganhou o subtítulo no Brasil de “Uma verdade anulada” e estava previsto para o dia 31 de janeiro segundo o calendário original da Universal Studios. O problema foi que a distribuidora cancelou o lançamento do filme às vésperas da estreia, sem muitas explicações e alegando que foi uma decisão “pura e exclusivamente comercial” , tomada com base no custo da campanha de lançamento versus a estimativa da bilheteria no país.

Garrad Conley, ativista americano que escreveu o livro homônimo usado como inspiração para o filme, comentou o cancelamento do filme em sua conta pessoal no Twitter afirmando que a produção na verdade foi censurada pelo nosso atual Governo Federal. O Tweet foi rapidamente apagado mas Mathew Shurka, outro ativista americano que chegou a trabalhar como consultor na produção do filme também manifestou sua preocupação: “Estou realmente preocupado que a Universal Pictures Brasil esteja cancelando filmes LGBT no Brasil por conta do governo atual”, declarou também em sua conta pessoal no Twitter. O mandatário Brasileiro, Jair Bolsonaro, como de costume, respondeu às acusações também em sua conta pessoal no Twitter, onde alegou “ter mais o que fazer” do que censurar um filme.

Segundo a sinopse oficial divulgada pelo estúdio em dezembro do ano passado, a trama traz a história do jovem gay Jared, filho de Marshall, um pastor de uma cidade bastante conservadora no Arkansas, e de Nancy, uma fanática religiosa. Quando confrontado pelos pais sobre sua sexualidade, Jared se vê pressionado a escolher entre perder seus familiares e amigos ou se submeter a um programa de terapia que busca a “cura” da homossexualidade.

A assessoria de imprensa da produtora divulgou que “Bem-vindos a Marwen” filme previsto para esse ano também terá seu lançamento cancelado no país pelo mesmo motivo. Segundo o IMDB, entre novembro de 2018 e 6 de janeiro de 2019, “Boy Erased” arrecadou quase oito milhões de dólares em suas bilheterias, o que de fato é um valor relativamente abaixo do esperado para estreias deste porte. Com Nicole Kidman, Russel Crowe e Lucas Hedges, o longa traz a direção de Joel Edgerton e ainda será distribuído no país pelo serviço Home Video da Universal.

Confira o trailer: