Ex-presidente do Grammy revela que Ariana Grande e Ed Sheeran foram boicotados na última edição

Depois do afastamento de Deborah Dugan da presidência do Grammy, a ex-CEO moveu acusações de assédio e racismo contra a academia, ela ainda afirmar que a escolha para os indicados é realizada de forma interna.

Dugan explica o processo de indicações, as inscrições são votadas pelos 12 mil membros da academia, em seguida, os 20 principais são revisados por uma especie de comitê secreto, esse comitê tem como função reduzir os candidatos para cinco ou no máximo oito, dependendo da categoria.

No entanto, o conselho costuma forçar os artista com quem eles têm um “relacionamento” e muitas vezes eles acabam adicionando artistas que não ficarão entre os 20 mais votados, para que assim possam tomar o lugar de outros nomes.

Isso aconteceu na edição do ano passado na categoria de “Canção do Ano” onde Ariana Grande e Ed Sheeran ficaram de fora dessa categoria embora os dois estivem entre os preferidos para concorrer ao prêmio.

Esse tipo de manipulação permite que o comitê decida quais músicas devem ser nomeadas e caso o produtor da premiação, Ken Ehrlich concordar esses artistas realizam o show durante o Grammy.

Contudo, Ainda não há mais informações sobre o processo, tão pouco sobre a veracidade das acusações.

>>> Curta o PFBR no Facebook

>>> Agora no @oficialpfbr

Carregar mais tweets