Empresa responsável pelo BTS se posiciona sobre as últimas polêmicas envolvendo o grupo

Nesta terça-feira (13) a empresa Big Hit Entertainment, responsável por agenciar o BTS, publicou uma nota oficial em suas redes sociais a respeito das últimas controvérsias em que os integrantes do grupo se envolveram.

Recentemente, um escândalo centrado em uma camiseta usada pelo Jimin, vocalista do grupo, resultou no cancelamento de uma performance dos rapazes no programa Music Station, da TV Asahi. Entretanto, as polêmicas do BTS não acabaram por ai.

http://5jc.0a9.myftpupload.com/rede-de-tv-japonesa-cancela-aparicao-do-bts-em-programa-apos-uso-de-camisa-extremamente-polemica-por-integrante-entenda/

No início da semana, um grupo judeu de direitos humanitários chamou atenção para um photoshoot dos garotos realizado em 2015 pela revista coreana CeCi, no qual o líder RM foi fotografado usando um chapéu com um símbolo nazista. Para completar, uma controvérsia envolvendo uma bandeira também supostamente relacionada ao nazismo em uma das apresentações do concerto de Seo Taiji encerrou a tríade de problemas.

Como resposta, a Big Hit Entertainment postou uma comunicado oficial esclarecendo e desculpando pela série de incidentes. “Tanto durante as promoções do BTS quanto na de todos os nossos artistas, a Big Hit não apoia guerra ou a bomba atômica. Nós somos contra isso e não tivemos a intenção de magoar as vítimas da bomba”, escreveu a empresa. “Confirmamos que a camiseta não foi feita com o propósito de causar angústia às vítimas. Entretanto, obviamente algum dano, intencionalmente, foi causado quando a peça foi usada devido nossa falta de visão e preparação. Nós, sinceramente, nos desculpamos pelo desconforto gerado”, completou.

Ainda sobre o caso, a companhia se pronunciou a respeito dos símbolos nazistas. “Big Hit também não apoia nenhuma forma de totalitarismo, inclusive o Nazismo, ou qualquer grupo político com tendências radicais”, informou. “As roupas e os acessórios usados durante a sessão foram fornecidos pela própria revista. Nossos artistas acabaram por usá-las devido a nossa falta de habilidade em conferi-las e dano foi causado às vítimas do Nazismo. Nós pedimos sinceras desculpas pelo desconforto causado pela imagem de nossos artistas terem se conectado a imagens nazistas”, destaca a Big Hit.

A empresa também explica a controvérsia com a bandeira. Segundo a nota publicada, a performance foi construída com base em uma mensagem de crítica social sobre a realidade dos rígidos padrões educacionais que assolam a sociedade coreana. “A imagem impressa na bandeira não tem nenhuma conexão com o nazismo. A intenção da apresentação era de criticar padrões e sistemas educacionais totalitários”, afirma a organização.

Além de assumir a culpa das polêmicas, a Big Hit assegurou que irá contactar associações de vítimas da bomba atômica para explicar e se desculpar pelos problemas causados. Uma carta também foi enviada ao grupo judeu de direitos humanos, Simon Wiesenthal Center, como forma de pedir desculpas e esclarecer o ocorrido.