Em entrevista, Sandy se diz feminista e revela ter sido assediada aos 12 anos de idade

A cantora Sandy falou sobre um dos maiores temas da atualidade: o machismo. Em entrevista, ela contou que, assim como a maioria das mulheres, já foi vítima de assédio, no entanto, no seu caso, isso aconteceu quando ela tinha apenas 12 anos de idade.

Ela, que ganhou fama ainda criança, não escapou da violência, apesar de contar com seguranças e da presença constante da mãe. Durante os seus shows, a artista, que fazia dupla com o irmão Junior, ouvia comentários abusivos de homens mais velhos na plateia.

“Prefiro não descrever, mas já aconteceu e é chato. Nunca foi nada muito grave de alguém chegar pegando, encostando, sei lá, mas já me senti assediada até no palco por gente que grita coisas enquanto você está se apresentando”, explica Sandy. “Pessoas bêbadas e tudo mais. Principalmente quando eu fazia festas muito grandes, tipo festa do peão e feiras agropecuárias. Eram sempre lugares muito cheios e eu ainda muito nova, com 12, 13 anos, já ficava escutando tudo quanto é coisa que eles gritavam”, continua.

Sobre se considerar feminista, ela confirma: “Ah, me considero. Ideologicamente, sim. Nunca fui ativista de nada, na real, mas eu me considero feminista com certa. Apoio vários movimentos”, diz ela, que tem um filho e pretende combater a cultura do machismo desde cedo.

“Eu tomo muito cuidado com isso desde já, para não incutir na cabeça dele esses inúmeros preconceitos, tudo que tem de ruim na nossa sociedade. Estou tentando fazer a minha parte para nunca deixar o Theo ser influenciado por esse tipo de coisa”, completa.