Elza Soares narra Gira Geral, projeto que une música e causas sociais

Elza Soares narra Gira Geral, projeto que une música e causas sociais

Justiça social, diversidade e música se encontram nos seis episódios da primeira edição do “Gira Geral”, que chega a partir de hoje no YouTube. Com o intuito de transformar a realidade através da arte, o projeto traz Juliana Linhares, Dora Morelenbaum, Késia Estácio, Blackyva, Josi Araújo e Ilessi + Vovô Bebê no time. Cada artista, semanalmente apresenta quatro canções também lançadas como EPs nos aplicativos de música e escolhem uma causa social para ser exibida e apoiada  nos programas. 

Elza Soares narra Gira Geral, projeto que une música e causas sociais

Criado durante a pandemia pela cantora Mariana Jascalevich, a antropóloga Maria Pierro Gripp e pelo engenheiro de som Igor Ferreira, o projeto é uma troca entre artistas, públicos e causas sociais e visa ajudar a cena artística independente em tempos sombrios, assim como causas sociais escolhidas pelos participantes. 

Dentre elas estão: Manguinhos Solidário, projeto que promove a segurança alimentar com distribuição de insumos básicos em Manguinhos (RJ) escolhido por Ilessi e Vovô Bebê ; Anjinho Feliz, instituição que presta assistência social, educacional, esportiva, cultural e de saúde para crianças e jovens em estado de vulnerabilidade social na Cidade Nova (RJ) indicada por Késia Estácio; Casa Nem, causa de Blackyva, um espaço de acolhimento e apoio a travestis, transexuais e transgêneros na Lapa (RJ); SOS Pantanal, escolhido por Dora, instituto socioambiental que promove diálogos e ações para a preservação do Pantanal (MT); Trupe do Mangue, indicada por Josi Araujo, projeto artístico e social que oferece aulas de diversas linguagens artísticas na Ilha da Gigoia (RJ); e AMICO – Amigos do Coração, projeto que promove operações cardiovasculares de alta complexidade em pacientes carentes (RN), causa da potiguar Juliana Linhares. 

A ideia para a “Gira Geral” surgiu em meio às conversas sobre as dificuldades neste período sem shows. A latente desigualdade exposta pela pandemia fez suscitar a necessidade e o desejo do coletivo como um lugar de transformação. “É um projeto que nasce da urgência, necessidade e desejo de impactar positivamente o setor cultural e a sociedade de maneira geral, focando na comunicação, capacitação e distribuição de renda”, resume Mariana, uma de suas criadoras.

Ela conta que o programa tem o objetivo de contextualizar o artista no cenário sócio cultural, visibilizar e girar capital para causas sociais, disseminar produções artísticas de relevância e desenvolver materiais inéditos, autorais e de inovação para a área. “E nossa curadoria  foi pautada na diversidade de ritmos, personalidades, cores e gêneros.  Baseados nesse princípio, tentamos agregar artistas da nova geração que inspiram, mobilizam, engajam e acreditam nos ideais da Gira” complementa. 

Sem dúvidas, o programa acontece num período necessário para a cena independente. “Entendemos a importância de remunerar e produzir materiais valiosos para esses artistas neste momento de vulnerabilidade no setor e trabalhamos no sentido de provocar a arte que reflete seu tempo e lugar” acredita Mariana.  “Ao convidar artistas que apresentam causas sociais e/ou ambientais de sua escolha, buscamos também instigar o engajamento de redes e a reflexão sobre o potencial de transformação social através da arte”, conclui.

Programação 

9/9 Juliana Linhares 

16/9 Késia Estácio 

23/9 Josi Araújo 

30/9 Blackyva

7/10 Ilessi + Vovô bebê

14/10 Dora Morelenbaum

>>> Curta o PFBR no Facebook

Siga o PFBR no Twitter <<<