marília mendonça cpi do sertanejo

CPI do Sertanejo: Marília Mendonça, em 2019, reclamou das autoridades não aceitarem seus shows gratuitos em diversas cidades

Após investigações acerca dos cachês milionários de Gusttavo Lima, foi criada uma operação para analisar desvio de verba pública para pagar shows de grandes artistas, chamada de CPI do Sertanejo. Essa semana, resgataram postagens de Marília Mendonça, de 2019, reclamando de governantes que recusavam seus shows gratuitos.

Na época, a cantora estava rodando com o projeto “Todos os Cantos”, onde realizava shows de graça, sem cobrança de ingressos ou cachês, em diversas capitais brasileiras. Acontece que os líderes de várias cidades e estados não aceitavam sediar o evento sem receberem nada em troca.

>>> OPERAÇÃO TORORÓ! Rio de Janeiro também abre investigação para averiguar cache de 1 milhão em show de Gusttavo Lima

Marília ainda reforça seu ponto de vista acerca dessa situação: “se estivéssemos pedindo dinheiro, eu entenderia“. A interprete de “Serenata” ainda mostrou que seu evento ajudaria a movimentar o turismo da região, mas seguiu levando “porta na cara“. “Não fazem e não deixam que façam“, destacou a cantora.

>>> Ministério Público investiga show de Gusttavo Lima com contrato de R$ 800 mil em cidade de apenas oito mil habitantes

Essa história de CPI do Sertanejo se iniciou com Zé Neto, da dupla com Cristiano, atacar Anitta em um show e afirmar nunca ter precisado da Lei Rouanet, que incentiva a cultura no país, e logo em seguida ser desmentido por diversas fontes. Após isso, Gusttavo Lima foi alvo de investigações com seus cachês milionários e pagos por prefeituras de pequenas cidades do interior de vários estados brasileiros. Até o momento, vários nomes do sertanejo tiveram seus cachês investigados.

>>> Curta o PFBR no Facebook

>>> Agora no @oficialpfbr

Carregar mais tweets